Mais de 750 corpos são recuperados após meses sob escombros no Iraque

  • Por EFE
  • 18/05/2018 13h51 - Atualizado em 18/05/2018 13h52
EFE/EPA/STRDestroços em Mossul, em abril de 2017

Um total de 763 corpos foram recuperados sob os escombros na cidade de Mossul, no norte do Iraque, vários meses depois do fim dos combates contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informou nesta sexta-feira à Agência Efe o chefe das equipes de socorro, Rabea Ibrahim.

A maioria dos corpos não foi identificada, mas acredita-se que pertencem a combatentes do EI e seus parentes, e que entre eles há mulheres e crianças, indicou.

Ibrahim acrescentou que os corpos foram achados na parte oeste da cidade, que foi palco de combates sangrentos entre jihadistas e as forças governamentais, e maioria estava perto da margem ocidental do rio Tigre, que atravessa Mossul de norte a sul.

O chefe das equipes de socorro detalhou que a maioria dos 763 corpos está decomposta porque já passou um longo período dem tempo desde que foram sepultados sob os escombros, provavelmente em bombardeios da coalização internacional liderada pelos Estados Unidos e ataques do Exército iraquiano.

O responsável de Defesa Civil iraquiano afirmou que esta campanha para retirar os corpos foi realizada por ordem do primeiro-ministro iraquiano, Haidar al Abadi, devido ao risco para a saúde pública, especialmente perante a chegada do verão e o aumento das temperaturas.

Mossul foi o principal reduto do EI no Iraque desde que o grupo conquistou a cidade em junho de 2014 até julho do ano passado, quando foi expulso depois de mais de nove meses de duros combates com as forças iraquianas conjuntas, apoiadas pela coalizão internacional.