Após confusão, China confirma morte de médico que fez primeiros alertas sobre coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 06/02/2020 19h26 - Atualizado em 06/02/2020 19h26
Reprodução/HandoutLi havia sido declarado morto nesta manhã, depois o governo voltou atrás e disse que ele estava em estado grave

Depois de horas de confusão sobre o real estado de saúde do médico chinês Li Wenliang, de 34 anos, o jornal estatal Global Times afirmou que o oftalmologista morreu na tarde desta quinta-feira (6), madrugada de sexta (7) na China. Li havia sido declarado morto nesta manhã, depois o governo voltou atrás e disse que ele estava em estado grave.

A confusão ocorreu porque o profissional teve uma parada cardíaca às 21h30 do horário local (10h30 do horário de Brasília), foi submetido a procedimentos de ressuscitação e ficou em estado crítico. No entanto, algumas horas depois sua morte foi confirmada. “Lamentamos profundamente”, escreveu o hospital central da cidade de Wuhan em um breve comunicado nas redes sociais.

O médico faleceu na cidade de Whuan, epicentro da epidemia, após ter sido um dos primeiros agentes de saúde a divulgar os riscos da infecção do coronavírus. Ele foi, inclusive, acusado de “espalhar rumores online” e de “perturbar seriamente a ordem social” e teve que prestar depoimento à polícia local.