Médico vacinado com Sputnik V testa positivo para Covid-19 na Bolívia

Este é o primeiro caso de infecção pelo coronavírus em uma pessoa que recebeu a primeira dose da imunização

  • Por Jovem Pan
  • 20/02/2021 13h11
EFE/Juan Carlos TorrejonSanta Cruz é a região mais atingida pela pandemia em toda a Bolívia, com 83.723 casos e 5.213 mortes por Covid-19

Um médico que foi vacinado na cidade de Santa Cruz de la Sierra, a região mais atingida pela pandemia do coronavírus na Bolívia, deu positivo para a Covid-19 apesar de ter recebido a primeira dose da vacina Sputnik V, de fabricação russa. O diretor do Serviço de Saúde do Departamento de Santa Cruz, Marcelo Ríos, relatou nesta sexta-feira, 20, o primeiro caso de infecção pelo coronavírus em uma pessoa que recebeu a primeira dose da imunização. “Não há uma grande relevância da gravidade na situação do médico, e ele poderá receber a segunda dose da vacina na próxima semana”, explicou Ríos.

Segundo o diretor, o médico apresentou efeitos adversos leves, como algumas das outras pessoas que foram vacinadas, tais como tontura, dor de cabeça e dor no local de aplicação. Esses sintomas, porém, não representam contraindicações para receber a segunda aplicação. Ríos esclareceu que as pessoas que têm alergias após a aplicação, ou efeitos colaterais graves, são aquelas que não podem receber a segunda dose.

A aplicação da segunda dose da vacina começará na próxima semana, 21 dias após os trabalhadores da saúde em Santa Cruz terem recebido a primeira. Segundo o diretor, pelo menos 2,2 mil pessoas levaram a primeira injeção no departamento. Ríos também informou que, a partir da próxima semana, as pessoas que desejarem ser vacinadas quando os outros lotes de doses chegarem ao país poderão se inscrever em um único registro para planejar o processo de imunização. “Isso nos permitirá saber de maneira ordenada quantas vacinas são necessárias, quem são elas e as pessoas registradas no sistema poderão agendar local, data e hora para que possam comparecer de maneira ordenada”, afirmou o funcionário de Santa Cruz.

Na primeira fase, será dada prioridade a grupos prioritários. Além de funcionários da área da saúde, estão incluídos policiais, militares, presos, moradores de asilos, pessoas com 60 anos de idade ou mais e quem tiver outros tipos de doença. Santa Cruz é a região mais atingida pela pandemia em toda a Bolívia, com 83.723 casos e 5.213 mortes por Covid-19.

* Com EFE