Militares leais a Maduro lançam bombas contra Guaidó

Os homens armados que apoiam o autoproclamado presidente interino do país devolveram as bombas de gás lacrimogêneo atiradas contra eles

  • Por Jovem Pan
  • 30/04/2019 11h26
Agência EFEAs forças de segurança que ainda apoiam o ditador Nicolás Maduro lançaram bombas de gás lacrimogêneo contra o líder da oposição e autoproclamado presidente interino do país, Juan Guaidó

As forças de segurança que ainda apoiam o ditador Nicolás Maduro lançaram bombas de gás lacrimogêneo contra o líder da oposição e autoproclamado presidente interino do país, Juan Guaidó. Nesta terça-feira (30), Guaidó declarou que tem apoio de militares para derrubar Maduro.

As bombas de gás lacrimogêneo caíram no leste de Caracas, perto da base aérea militar de La Carlota, onde Guaidó está acompanhado de Leopoldo López, líder do partido Vontade Popular (VP) e que foi libertado hoje apesar de ter sido condenado a uma sentença de quase 14 anos de prisão. Os homens armados que apoiam Guaidó devolveram as bombas de gás lacrimogêneo atiradas contra eles e, até agora, não se sabe se alguém ficou ferido.

As imediações da base militar foram tomadas por vários membros das forças de segurança, que bloquearam as vias públicas. Dezenas de simpatizantes de Guaidó se aproximaram da base após a chamada feita pelo opositor de apoiar a revolta contra Maduro nas ruas.

Apesar do anúncio feito por Guaidó, o ministro da Defesa do governo Maduro, Vladimir Padrino, afirmou que os quartéis do país estão funcionando com “normalidade”. “Rejeitamos este movimento golpista que pretende encher o país de violência. Os pseudolíderes políticos que se colocaram à frente deste movimento subversivo, utilizaram tropas e policiais com armas de guerra em uma via pública da cidade para criar rebuliço e terror”, disse o ministro no Twitter.

Padrino garantiu que a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) “se mantém firme em defesa da Constituição Nacional e de suas autoridades legítimas”.

*Com informações da Agência EFE