Musk exige que ex-chefe de segurança do Twitter entregue documentos e testemunhe em seu favor

Peiter Zaitko acusou os diretores da empresa de exagerar deliberadamente o alcance do combate da rede social contra contas falsas e spam

  • Por Jovem Pan
  • 29/08/2022 21h58
Patrick Pleul/AFP O CEO da Tesla, Elon Musk, participa do início da produção na Elon Musk briga com o Twitter na Justiça

O magnata Elon Musk exigiu que o ex-chefe de segurança do Twitter, que acusou a plataforma de mentir, forneça documentos e testemunhe como parte do processo judicial contra a rede social. Os advogados do proprietário da SpaceX e da Tesla enviaram uma intimação a Peiter Zaitko no sábado, 27, solicitando todos os documentos e comunicações — de 1º de janeiro até a data do pedido — em sua posse relacionados ao “impacto e efeitos de contas falsas e spams nos negócios do Twitter”. Em uma denúncia enviada no mês passado a duas agências reguladoras dos Estados Unidos e ao Departamento de Justiça, Zaitko culpou o Twitter pela falta de segurança cibernética. Também acusou os diretores da empresa de exagerar deliberadamente o alcance do combate da rede social contra as contas falsas e o spam.

Esta última afirmação pode reforçar a estratégia de defesa de Musk, que afirmou ter desistido de comprar o Twitter porque a empresa mentiu sobre a quantidade de usuários falsos que possui. Musk quer que Zaitko forneça documentos e comunicações relacionados à medição de usuários ativos diários monetizáveis, um indicador-chave do desempenho da empresa. O bilionário também quer que Zaitko seja chamado para testemunhar em 9 de setembro em uma instalação perto de sua casa em Nova Jersey. O advogado de Zaitko não respondeu aos pedidos de comentário. A disputa do Twitter com Musk será decidida em um julgamento que começará em 17 de outubro em um tribunal especializado de Delaware e deve durar cinco dias. Musk tem como objetivo abandonar o plano de comprar o Twitter por US$ 44 bilhões e evitar o pagamento das taxas de rescisão acordadas.

*Com informações da AFP

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.