Obras para garantir estabilidade de Notre-Dame custarão quase R$ 400 milhões

A principal catedral de Paris ardeu em chamas em abril deste ano. Investigadores da polícia de Paris suspeitam que um curto-circuito foi a causa do incêndio.

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2019 13h51
EFE

As obras para garantir a estabilidade da Catedral de Notre-Dame custarão cerca de 85 milhões de euros (R$ 395 milhões), segundo um comunicado divulgado neste sábado (30) pela prefeitura de Paris sobre a situação da igreja sete meses após o incêndio.

O custo inclui os estudos de diagnóstico e avaliação e o salário dos trabalhadores contratados para a operação. No total, 39 empresas estão envolvidas no projeto. A principal catedral de Paris ardeu em chamas em abril deste ano. Investigadores da polícia de Paris suspeitam que um curto-circuito foi a causa do incêndio.

Nesta sexta, foi criado por decreto um novo órgão público que se encarregará da restauração. A entidade será presidida pelo general Jean-Louis Georgelin e deverá se reunir na próxima terça-feira.

A prefeitura detalhou que enquanto não for possível garantir a estabilidade e a solidez “perfeita” do templo, além de eliminar os elementos instáveis como madeiras que podem cair na rua, a situação não pode ser considerada fora de perigo.

No momento, as doações e promessas para a restauração da catedral já somam 922 milhões de euros.

A continuação das obras está, a partir de agora, nas mãos do novo órgão. A expectativa é que as respostas técnicas necessárias para uma reabertura progressiva da esplanada ao público cheguem “no início do ano que vem”.

Ainda não foi definida uma data para a reinauguração do templo, mas o general Georgelin convocou os fiéis para uma cerimônia em abril de 2024.

*Com informações da EFE