Parlamento Europeu aprova acordo com Reino Unido e encerra o Brexit

O tratado recebeu 660 votos a favor, 32 abstenções e 5 contrários durante votação secreta nesta terça-feira, 27; anúncio marca o fim do processo de saída do governo britânico do bloco econômico

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2021 13h21 - Atualizado em 28/04/2021 18h01
EFE/EPA/OLIVIER HOSLETO presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, afirmou que começa uma "nova era" nas relações entre o Reino Unido e a União Europeia

O Parlamento Europeu aprovou o Acordo de Comércio e Cooperação que estabelece a relação pós-Brexit com o Reino Unido. O tratado recebeu 660 votos a favor, 32 abstenções e 5 contrários durante uma votação secreta que aconteceu na tarde de terça-feira, 27. O anúncio marca o fim do processo de saída do governo britânico do bloco econômico. O Reino Unido já tinha ratificado o acordo em dezembro após uma negociação que se entendeu por todo o ano de 2020, mas a União Europeia advertiu que precisaria de mais tempo para analisar as mais de mil páginas do documento. Por esse motivo, o Brexit foi implementado de forma provisória com um prazo que terminaria nesta sexta-feira, 30, sendo que o Reino Unido alertou que, passada essa data, não aceitaria uma prorrogação da medida. Ainda não se sabe qual será o efeito do Brexit no comércio a longo prazo. Porém, as exportações britânicas para a União Europeia despencaram 5,7 bilhões de libras (cerca de R$ 37,5 bilhões) em janeiro, em comparação com o mês anterior, e se recuperaram em 3,7 bilhões de libras (cerca de R$ 24,35 bilhões) em fevereiro. Fenômeno semelhante aconteceu com as importações, que caíram em janeiro, mas tiveram uma leve recuperação em fevereiro. Ainda assim, o governo britânico atribuiu o efeito econômico às restrições associadas à pandemia do novo coronavírus, e não ao Brexit.

A aprovação do Acordo de Comércio e Cooperação foi comemorada pelo primeiro-ministro Boris Johnson, que defendeu que “agora é o momento de olhar para frente, em direção ao futuro”. Em declaração semelhante, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, afirmou que começa uma “nova era” nas relações entre o Reino Unido e o bloco econômico. Já a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, alertou que será “essencial a fiel aplicação” do acordo. As declarações acontecem em meio a tensões entre o Reino Unido e a União Europeia, principalmente devido ao fato do governo britânico ter mantido controles alfandegários e sanitários entre a República da Irlanda (que faz parte da União Europeia) e a Irlanda do Norte (que faz parte do Reino Unido). Um dos principais esforços do bloco econômico no ano passado foi no sentido de garantir que não fosse criada uma fronteira física entre essas duas nações para evitar conflitos na região, mas o Reino Unido está sendo acusado de violar essa parte do tratado – o que já vem causando protestos violentos na Irlanda do Norte. Adicionalmente, há também uma disputa pelas vacinas contra Covid-19 da AstraZenecaUniversidade de Oxford: enquanto a União Europeia sofreu atrasos nas entregas, o Reino Unido recebia as suas doses dentro do prazo combinado.