Peru prorroga estado de emergência até março de 2022 devido à Covid-19

Decisão foi tomada na iminência de uma terceira onda de contágio do novo coronavírus, provavelmente causada pelo avanço da variante delta, que é mais contagiosa

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2021 18h56
EFE/ Paolo AguilarPeru é um dos países mais afetados do mundo pela pandemia, com pouco mais de 2 milhões de casos e quase 200 mil mortes

O governo do Peru prorrogou o estado de emergência vigente no país, devido à pandemia da Covid-19 por mais 180 dias, o que deixará a medida vigente até 1º de março de 2022, pelo menos. A decisão foi tomada na iminência de uma terceira onda de contágio do novo coronavírus, causada, provavelmente, pela variante delta, que está provocando um aumento lento dos casos, mas constante em diversas regiões do território peruano. Por causa desse panorama, o Ministério da Saúde decidiu priorizar a vacinação de toda a população que ainda não tomou a segunda dose de imunizante antes de dar a primeira para um maior número de pessoas.

A pasta optou por descentralizar o processo de vacinação para que haja mais disponibilidade de doses em várias regiões que são consideradas de risco. Nesta sexta-feira, o ministro da Saúde, Hernando Cevallos, manifestou a preocupação que tem com cerca de 300 mil pessoas maiores de 60 anos que ainda não retornaram aos locais determinados para tomar a segunda dose de vacina. Outras 900 mil pessoas não foram até os postos de saúde, apesar de ter idade para fazê-lo, enquanto 1 milhão de pessoas com algum fator de risco também não compareceram para receber o imunizante. Atualmente, 6,6 milhões de habitantes do Peru receberam as duas doses de vacinas contra a doença, o que representa 20% da população, enquanto outros 2,5 milhões aguardam a segunda dose. O país é um dos mais afetados do mundo pela pandemia, com pouco mais de 2 milhões de casos e quase 200 mil mortes. Além disso, tem a maior taxa de mortalidade do planeta, com cerca de 600 vítimas por cada 100 mil habitantes.

*Com EFE