Pfizer e Moderna solicitam uso de vacinas contra Covid-19 na Europa

Os dois imunizantes podem ser aprovados até os dias 29 de dezembro e 12 de janeiro, respectivamente; farmacêuticas já tinham entrado com pedidos de autorização nos Estados Unidos

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2020 10h39
EFE/EPA/ATTILA BALAZSA vacina da Pfizer demonstrou eficácia de 95%, enquanto a da Moderna garantiu 94,5% de proteção

Nesta terça-feira, 1, as empresas farmacêuticas Pfizer e Moderna entraram com pedidos de autorização para o uso emergencial de suas vacinas contra a Covid-19 na Europa. A solicitação foi feita à Agência Europeia de Medicamentos (AEM), que deve avaliar os imunizantes até 29 de dezembro e 12 de janeiro, respectivamente. Em comunicado, a entidade afirmou que a aprovação depende dos dados apresentados, que devem ser “suficientemente sólidos e completos para mostrar a qualidade, segurança e a eficácia da vacina”. Além disso, a AEM explicou que as avaliações acontecerão em uma velocidade superior à de costume porque a entidade já vinha recendo informações sobre os imunizantes de forma contínua ao longo da pandemia de coronavírus. No entanto, o órgão alertou que os prazos podem mudar.

As empresas farmacêuticas também já estão aguardando a permissão de uso nos Estados Unidos. A fórmula da Pfizer, em parceria com o laboratório BioNTech, está esperando a aprovação desde o dia 20 de novembro, enquanto a Moderna entrou com o pedido nesta segunda-feira, 30. O primeiro imunizante demonstrou uma eficácia de 95% durante os testes clínicos, enquanto a segunda garantiu 94,5% de proteção contra a Covid-19. As duas vacinas usam um pedaço do código genético do novo coronavírus para induzir a produção de anticorpos no organismo e precisam ser armazenadas em temperaturas baixas para armazenamento: a da Pfizer a  -70°C e a da Moderna a  -20ºC.

*Com informações de agências internacionais