Polícia dos EUA recebe ameaças de morte após prender supremacistas brancos

Detidos pretendiam causar confusões em evento do orgulho LGBT+ no próximo fim de semana, em Idaho

  • Por Jovem Pan
  • 13/06/2022 21h44
REUTERS/Shelby Tauber Polícia dos Estados Unidos Polícia de Idaho prendeu homens ligados a grupo neofascista 'Frente Patriota'

A polícia de Idaho, oeste dos Estados Unidos, recebeu ameaças de morte após prender 31 supostos supremacistas brancos que se preparavam para causar tumulto em um evento do orgulho LGBT+ no fim de semana, anunciou um oficial nesta segunda-feira. As prisões ocorreram no sábado, após uma denúncia sobre homens com o rosto coberto que “pareciam um pequeno exército” subindo em um caminhão, aparentemente indo para o evento que acontecia em um parque na cidade de Coeur d’Alene. Os homens, que a polícia acredita estarem ligados ao grupo neofascista “Frente Patriota”, foram interceptados antes de chegarem ao parque. Eles estavam armados com equipamentos para motins e foram presos por conspiração para causar tumultos, disse Lee White, chefe da polícia municipal dessa pequena cidade de Idaho.

Em entrevista coletiva, White contou que, desde que as prisões foram realizadas, metade das 150 ligações recebidas por seu departamento foram anônimas, de pessoas querendo “gritar conosco” e proferindo “ameaças de morte” contra ele e outros membros do departamento de polícia. White atribuiu as ligações a “grupos de ódio” de fora de Coeur d’Alene, incluindo uma pessoa que telefonou da Noruega para “nos dar sua opinião”. Segundo o comandante policial, os detidos procedem de 11 Estados e não haviam sido detectados previamente representantes da Frente Patriota na área. O FBI presta assistência às autoridades locais, segundo a porta-voz Sandra Barker. “Se durante a investigação surgirem informações sobre uma potencial violação das leis federais, a polícia federal americana está preparada para investigar”, disse Barker.

*Com informações da AFP