Presidente da Turquia defende reforma da ONU: ‘Cinco nações controlam o poder’

Erdogan ainda pontuou que a pandemia de coronavírus deve acirrar os conflitos já existentes no mundo, como os que envolvem a Síries, Iêmen, causa palestina, entre outros

  • Por Jovem Pan
  • 22/09/2020 12h39
Sergei Chirikov/EFERecep Tayyip Erdogan é o atual presidente da Turquia

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan defendeu nesta terça-feira, 22, uma reforma na Organização das Nações Unidas (ONU). Discursando justamente na Assembleia Geral da ONU, o mandatário turco alegou que a instituição precisa de uma mudança pois, atualmente, o poder decisório está “nas mãos de apenas cinco nações”, fazendo referência aos cinco assentos permanentes, com direito a veto, do Conselho de Segurança, ocupados por Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França e China. Antes dele, outros líderes mundiais, como Jair Bolsonaro, do Brasil, e Donald Trump, dos Estados Unidos, também discursaram.

Erdogan ainda pontuou que a pandemia de coronavírus deve acirrar os conflitos já existentes no mundo, como os que envolvem a Síries, Iêmen, causa palestina, entre outros. Ele ainda destacou que a interferência humana na natureza terá preço alto, influenciando inclusive a segurança alimentar, e criticou seus vizinhos europeus, ao afirmar que alguns países violam os direitos dos refugiados. O presidente da Turquia pontuou que os países em desenvolvimento serão os mais afetados economicamente pela pandemia de coronavírus.

*Com informações do Estadão Conteúdo