Presidente do Equador revogará polêmico decreto nesta segunda-feira

Segundo Lenín Moreno, o diálogo recuperou a paz no país, que enfrentou 11 dias de protestos violentos

  • Por Jovem Pan
  • 14/10/2019 15h56
Agência EFEO presidente do Equador, Lenín Moreno, afirmou por meio do Twitter que revogará nesta segunda-feira (14) o decreto que causou protestos e violência nas ruas

O presidente do Equador, Lenín Moreno, revogará oficialmente nesta segunda-feira (14) o polêmico decreto 883, que eliminava os subsídios aos combustíveis e que originou os protestos dos últimos 11 dias.

“Nas próximas horas derrogarei o Decreto 883. Fizemos uma escolha pela paz. Será expedido um novo decreto que garanta que os recursos cheguem a quem realmente necessita”, escreveu o governante no Twitter.

A mensagem foi publicada horas depois da confirmação de um acordo com os líderes indígenas para revisar uma decisão que atendia às reivindicações de austeridade do Fundo Monetário Internacional (FMI) e de outras entidades em troca de um pacote financeiro de US$ 10 bilhões.

A Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie) lembrou que “neste momento uma comissão trabalha na redação do decreto que o substitui”.

“Festejamos a vitória, mas isto não termina até que o acordo seja totalmente concretizado”, declarou a Conaie.

Nesta manhã, vários indígenas começaram a retornar às suas casas nas diferentes províncias do país, após mais de uma semana de mobilização que paralisou a capital, Quito. Segundo Moreno, o diálogo recuperou a paz no Equador.

O país retoma aos poucos a normalidade após os dias de protestos, vários deles marcados pelo uso da violência. Sete pessoas morreram devido as manifestações que aconteceram nas ruas da cidade, segundo as autoridades.

*Com informações da EFE