Primeiro-ministro do Haiti diz que situação do país é ‘dramática’ após terremoto

Segundo agências internacionais, a defesa civil haitiana divulgou um balanço preliminar que aponta pelo menos 29 mortos após a ocorrência do fenômeno

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2021 15h28 - Atualizado em 14/08/2021 15h35
EFE/ Jean David GenesteTerremoto que atingiu o Haiti neste sábado foi de magnitude 7,2

Após o terremoto de magnitude 7,2 que atingiu o Haiti neste sábado, 14, o primeiro-ministro do país, Ariel Henry, afirmou que a situação é “dramática”. Segundo agências internacionais, autoridades haitianas divulgaram um balanço preliminar que aponta pelo menos 29 mortos após a ocorrência do fenômeno. Ainda não há números oficiais sobre mortos e feridos. No Twitter, Ariel Henry fez um apelo “ao espírito de solidariedade e compromisso de todos os haitianos” para enfrentar essa “situação dramática que vivemos atualmente”. Mais cedo, Henry já havia prestado condolências aos “pais das vítimas deste violento terremoto que causou várias perdas de vidas humanas”. O primeiro-ministro haitiano ainda afirmou que tomará as providências necessárias para ajudar as pessoas atingidas pelo fenômeno e que agirá rapidamente. “O governo vai declarar estado de emergência”, concluiu.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor foi identificado em Saint-Louis du Sud, no sul do país, e a cerca de 150 km da capital Porto Príncipe. Mais cedo, foi emitido um alerta de tsunami para a região, que foi posteriormente retirado. A USGS classificou com o terremoto com um ‘alerta vermelho’ para danos, afirmando a possibilidade de grande número de mortos e que o desastre poderia se espalhar pelo país. No mesmo comunicado, o órgão norte-americano apontou que, no passado, fenômenos da mesma magnitude demandaram uma resposta a nível nacional e internacional. O tremor atinge o país em meio a uma grave crise. Em julho deste ano, o presidente da nação, Jovenel Moïse, foi assassinado dentro da própria casa. O país caribenho ainda tenta se recuperar das consequências de um terremoto da mesma magnitude que ocorreu em 2010 e deixou cerca de 300 mil mortos.