Reino Unido permitirá reabertura de lojas e restaurantes a partir do dia 12

O primeiro-ministro Boris Johnson também anunciou que o país testará um ‘passaporte sanitário’ e que as viagens internacionais poderão ser retomadas no dia 17 de maio

  • Por Jovem Pan
  • 05/04/2021 17h09 - Atualizado em 05/04/2021 17h44
EFE/EPA/NEIL HALLA última flexibilização do lockdown já permitia encontros de pequenos grupos em espaços ao ar livre

O primeiro-ministro Boris Johnson anunciou nesta segunda-feira, 5, que, conforme o esperado, haverá mais uma flexibilização das medidas restritivas para conter a Covid-19 na semana que vem, a maior desde que o lockdown foi decretado no Reino Unido em janeiro. A partir do dia 12, os bares e restaurantes com mesas ao ar livre poderão reabrir, assim como os comércios considerados não-essenciais, as academias, os salões de cabelereiro, as bibliotecas, os centros comunitários e os parques temáticos. Os idosos que vivem em casas de repouso também poderão receber visitas de mais de duas pessoas e o número máximo de convidados em cerimônias de casamento aumentará de seis para 15 pessoas. Durante a coletiva de imprensa, o premiê brincou que no dia da reabertura pretende ir a um pub para comemorar tomando uma cerveja. No entanto, a recomendação é que as pessoas continuem usando máscara, mantendo o distanciamento social, fazendo home office e evitando viagens dentro do país.

Boris Johnson ainda disse estar esperançoso que as viagens internacionais possam ser retomadas na próxima fase do processo de reabertura, previsto para o dia 17 de maio. Nessa etapa, os estabelecimentos também devem receber a autorização para voltar a servir comida em ambientes fechados. A reabertura total, por sua vez, poderá ser alcançada a partir de 21 de junho, com a liberação inclusive de boates. Outro importante anúncio foi o de que o governo britânico começará a testar na Inglaterra uma espécie de passaporte sanitário em aplicativo ou em papel que indicará se o cidadão já foi vacinado contra a Covid-19, recebeu resultado negativo para a doença há pouco tempo ou apresenta anticorpos contra o novo coronavírus em seu organismo. O documento não será exigido nos transportes públicos, restaurantes ou comércios, mas sim em eventos esportivos, conferências e baladas, por exemplo. De acordo com o primeiro-ministro, um dos testes serão feitos na semifinal e na final da Copa da Inglaterra no estádio de Wembley.