Rússia diz que disparou tiros contra navio britânico no Mar Negro; Reino Unido nega

Navio HMS Defender saiu da Ucrânia e navegava por águas internacionais na região da Crimeia quando teria sido interceptado por embarcações russas

  • Por Jovem Pan
  • 23/06/2021 10h36 - Atualizado em 23/06/2021 16h23
Embaixada do Reino Unido na Ucrânia/Twitter/Reprodução de vídeoDestroier britânico navegava pelo Mar Negro após visitar cidade na Rússia

Poucas horas após o Ministério da Defesa da Rússia afirmar que disparou tiros de advertência contra um destroier britânico que teria invadido águas do território da Crimeia nesta quarta-feira, 23, o secretário de Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, negou que qualquer tipo de repreensão tenha sido sofrida por embarcações do país em águas internacionais. Segundo ele, o navio, HMS Defender, fazia uma passagem de rotina em na região. ‘Como rotina, embarcações russas monitoraram a passagem da navegação e ela foi informada de que haviam exercícios de treinamento sendo realizados na região”, afirmou trecho do comunicado divulgado por Wallace. Segundo o documento, nenhum tiro foi dado diretamente contra o barco.

A informação contrasta com o posicionamento russo, que disse que não só que fez disparos, mas também que avisou à navegação do Reino Unido sobre a proibição de passar pela região e não observou nenhuma reação à advertência. O comunicado do secretário Ben Wallace também informou que a HMS Defender não navegava por águas russas, e sim ucranianas. A região da Crimeia, que é da Ucrânia e foi “anexada” pela Rússia em 2014, não é reconhecida internacionalmente como conquista do país europeu. Ainda no começo da semana, a navegação britânica foi até a cidade de Odessa e assinou um tratado para construção conjunta de duas bases navais e navios de guerra.