Rússia diz que expulsará diplomatas do Reino Unido, em retaliação

  • Por Estadão Conteúdo
  • 15/03/2018 11h09 - Atualizado em 15/03/2018 11h10
Reprodução/GoogleA decisão de Londres foi uma resposta ao envenenamento de um ex-espião que, segundo o governo britânico, teve envolvimento russo

O governo da Rússia afirmou que “certamente” expulsará diplomatas britânicos, em resposta à decisão do Reino Unido de enviar 23 diplomatas russos de volta para casa. A decisão de Londres foi uma resposta ao envenenamento de um ex-espião que, segundo o governo britânico, teve envolvimento russo.

O ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, afirmou em declarações à agência RIA Novosti que a medida viria “em breve”. Lavrov acrescentou, porém, que Moscou informaria o governo da premiê Theresa May pelos canais oficiais, antes de anunciar publicamente as retaliações.

Os britânicos culparam a Rússia pelo ataque em 4 de março com um agente químico contra o ex-espião Sergei Skripal e sua filha Yulia. Os dois ficaram em estado grave e um policial também ficou em estado grave após o episódio.

Lavrov disse que as acusações de envolvimento de Moscou buscam tirar o foco no Reino Unido das dificuldades enfrentadas pelos governantes para negociar a saída do país da União Europeia, o chamado Brexit.

Rússia diz que escândalo de espião no Reino Unido não atrapalhar sua eleição

O porta-voz do presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse hoje que o crescente escândalo diplomático envolvendo o envenenamento de um ex-espião no Reino Unido não vai atrapalhar a eleição presidencial russa.

O porta-voz, Dmitry Peskov, afirmou hoje que o ataque com substância neurotóxica sofrido pelo ex-informante Sergei Skripal, no sul do Inglaterra, “não afeta” a campanha para eleição do próximo domingo (18), que ele classificou como a maior prioridade da Rússia.

Peskov negou com veemência que a Rússia esteja por trás do ataque, ocorrido no último dia 4.

A campanha russa continua apática a apenas três dias da votação. É amplamente esperado que Putin conquiste um novo mandato, depois de 18 anos no poder, graças em parte a seu argumento de que ele precisa enfrentar os “agressores do Ocidente”.

A candidata de oposição e ex-celebridade de televisão, Ksenia Sobchak, está realizando um grande comício nesta quinta-feira, após ter caído em prantos no último debate televisionado ontem à noite. Ela foi a única candidata a criticar Putin.