Rússia exige que EUA parem de fornecer armas à Ucrânia e faz ameaça de ‘consequências imprevisíveis’

Governo de Vladimir Putin considera ajuda de americanos e da Otan aos ucranianos uma ‘militarização irresponsável’

  • Por Jovem Pan
  • 15/04/2022 17h41 - Atualizado em 15/04/2022 17h43
EFE/EPA/ALEXANDER VILF / POOL MANDATORY CREDIT presidente da Rússia Putin ameaçou Estados Unidos por envio de armas à Ucrânia

A Rússia avisou os Estados Unidos que, caso o governo Joe Biden e a Otan continuem armando a Ucrânia, o mundo sofrerá com “consequências imprevisíveis”. A ameaça foi descoberta nesta sexta-feira, 15, pelo jornal norte-americano “Washington Post”, que obteve uma cópia da carta enviada pelo Kremlin à Casa Branca. “Pedimos aos Estados Unidos e seus aliados que parem com a militarização irresponsável da Ucrânia, que implica em consequências imprevisíveis para a segurança regional e internacional”, diz a nota com data da última terça-feira, 12.

A mensagem de Putin para os Estados Unidos acontece na mesma semana em que Biden anunciou ajuda extra de 800 milhões de dólares em assistência militar à Ucrânia, incluindo obuses de 155 mm, drones de defesa costeira e veículos blindados, além de armas antiaéreas, antitanques portáteis adicionais e milhões de cartuchos de munição. “Esse novo pacote de assistência tem sistemas altamente eficazes que já fornecemos e novas capacidades. Elas são necessárias para conter o ataque mais amplo esperado no leste da Ucrânia”, anunciou o presidente estadunidense, que já auxiliou a Ucrânia com 3,2 bilhões de dólares.