Rússia toma cinco povoados no nordeste da Ucrânia

Kremlin tem tentado aproveitar a escassez de munição das tropas de Kiev após a diminuição do fluxo de ajuda militar ocidental nos últimos meses para ter superioridade

  • Por Jovem Pan
  • 11/05/2024 18h55
HANDOUT / UKRAINIAN MINISTRY OF DEFENCE / AFP contraofensiva ucraniana Autoridades russas anunciaram a captura de outra localidade, Pletenivka

As forças russas tomaram cinco povoados em sua nova campanha terrestre no nordeste da Ucrânia, informou o Ministério da Defesa russo no sábado (11). Jornalistas ucranianos relataram na véspera que as tropas russas haviam capturado Borysivka, Ohirtseve, Pylna e Strilecha, localizadas em uma “zona cinzenta” disputada militarmente na fronteira. Autoridades russas anunciaram a captura de outra localidade, Pletenivka, em uma ofensiva que, segundo as autoridades ucranianas, obrigou mais de 1.700 civis a fugir. Artilharia, morteiros e bombardeios aéreos atingiram mais de 30 localidades e deixaram pelo menos três mortos e cinco feridos, disse o governador de Kharkiv Oblast, Oleh Syniehubov. A Ucrânia havia enviado reforços à província na sexta-feira para repelir a tentativa russa de quebrar as defesas locais, afirmaram as autoridades.

As tropas de Kiev lançaram também uma salva de drones e mísseis na sexta-feira à noite, segundo o Ministério da Defesa da Rússia, que disse que suas defesas antiaéreas derrubaram 21 projéteis e 16 drones sobre as províncias de Belgorod, Kursk e Volgogrado. Uma pessoa morreu em um ataque com drone em Belgorod e outra em Kursk, de acordo com as autoridades locais. Outro ataque incendiou um depósito de petróleo na região ucraniana de Luhansk, ocupada pelas forças do Kremlin, matando quatro pessoas e ferindo outras oito, segundo afirmou Leonid Pasechnik, o líder da região nomeado por Moscou, no sábado, no aplicativo de mensagens Telegram. As tropas russas intensificaram seus bombardeios sobre Kharkiv, a segunda maior cidade do país, no fim de março. O ataque de sexta-feira representou a mudança tática por parte de Moscou que as autoridades ucranianas esperavam há semanas. O Kremlin tem tentado aproveitar a escassez de munição das tropas de Kiev após a diminuição do fluxo de ajuda militar ocidental nos últimos meses. A Ucrânia havia dito que sabia que a Rússia estava reunindo milhares de soldados ao longo da fronteira nordeste, perto das províncias de Kharkiv e Sumy.

O exército russo também pode tentar cortar rotas de abastecimento-chave na área e isolar Kharkiv, onde atualmente vivem cerca de 1,1 milhão de pessoas e fica a apenas 30 quilômetros ao sul da fronteira. Nos primeiros dias da guerra, a Rússia tentou sem sucesso assaltar Kharkiv, mas se afastou de sua periferia após um mês de cerco. Sete meses depois, no outono de 2022, o exército ucraniano expulsou as forças rivais de Kharkiv. O audacioso contra-ataque ajudou a persuadir os países ocidentais de que Kiev poderia derrotar Moscou no campo de batalha e merecia apoio militar.

*Com informações do Estadão Conteúdo

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.