Sangue, fumaça e gritaria: confira relatos de testemunhas do ataque em metrô de Nova York

Homem armado e mascarado atirou em pessoas nesta terça-feira, 12, em uma estação no Brooklyn e deixou 16 feridos até o momento

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2022 17h33 - Atualizado em 12/04/2022 20h24
Reprodução / Twitter @schauderhaft Metrô de Nova York Pelo menos 16 pessoas ficaram feridas em ataque na estação de metrô de Nova York

Os moradores de Nova York foram surpreendidos na manhã de terça-feira, 12, quando um homem, ainda não identificado, atirou em pessoas na estação de metrô em Sunset Park, no Brooklyn. Imagens que circulam nas redes sociais mostram pessoas ensanguentadas sentadas na plataforma aguardando por socorro, após serem atingidas pelos tiros, e uma fumaça tomando conta do local. Segundo a chefe de polícia, um indivíduo “pegou algo em um saco dentro da estação e começou a sair fumaça, em seguida ele começou a atirar nas pessoas no metrô e na plataforma”. Pelo menos 23 pessoas ficaram feridas, 10 foram baleadas e 5 estão em estado grave, porém não correm risco de morte.

Pessoas que estavam no local na hora do acidente usaram as redes sociais para falar sobre o ocorrido. Por meio de uma postagem no Facebook, Armen Armenian declarou que foi um dos últimos a deixar o vagão. Angry Yeti relatou, por meio do Instagram, que “alguém acabou de ser baleado no meu trem e acendeu um fogo na linha N”. Ele fez registro das pessoas deixando o local e no chão aguardando por resgate. Por fim, disse estar bem e em sua casa. O morador do Brooklyn Yayha Ibrahim disse que viu pessoas correndo da estação e decidiu descer para ver o que estava acontecendo. “Eu vi uma senhora, ela foi baleada na perna e ela estava gritando por socorro”, disse. Segundo Ibrahim, as equipes de resgate “fizeram um bom trabalho ao chegar rápido e a ambulância chegou e a levaram”, relatou. “Outra mulher disse que havia um homem com uma máscara e uma arma”, complementou.

 

John Butsikares, um jovem de 15 anos, passou pela estação logo após o incidente. Ele conta que o condutor do trem ordenou que todos na plataforma da estação subissem a bordo. “Eu não sabia o que tinha acontecido. Foi um momento assustador. E então na rua 25 (a próxima estação) todos nos mandaram descer. Havia pessoas gritando por assistência médica”, disse Butsikares, que estava indo para a escola. “Foi apenas um momento assustador. Foi, todo mundo estava lotado, e eu não sabia o que aconteceu até depois”, acrescenta. 

Moradores da região também se posicionaram sobre o ocorrido. “Às vezes eu fico com muito medo. Eu me sinto mais confortável quando pego o ônibus”, relata Ana Urena. “Quando estou pegando um trem de manhã e vejo que o vagão está vazio, eu me afasto porque não quero pegar o trem com apenas uma pessoa lá dentro, sabe? Se vejo três pessoas, entro”, complementa. Cameron Kyle-Sidell, diz que o ocorrido é lamentável, porém isso não vai fazer com que mude seus hábitos. “Se o metrô abrir agora, eu provavelmente vou pegá-lo”.

*Com informações da Reuters