Sem efeitos graves, 60 mil chineses já testaram vacinas contra Covid-19

A expectativa é que um bilhão de doses de possíveis imunizantes sejam produzidas em 2021

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2020 10h59
EFE/EPA/HOTLI SIMANJUNTAK/ArchivoEm setembro, Zheng anunciou que a China planeja fabricar 610 milhões de doses da vacina do novo coronavírus antes do final deste ano

O Ministério da Ciência e Tecnologia da China anunciou nesta terça-feira, 20, que mais de 60 mil voluntários já receberam uma das quatro vacinas contra a Covid-19 “sem apresentar efeitos adversos significativos”. Ao todo, segundo o vice-diretor do Departamento de Desenvolvimento Social do Ministério, Tian Baoguo, 13 vacinas já foram parcial ou totalmente desenvolvidas pelo país asiático na fase 3 dos testes clínicos. “Os efeitos adversos são comuns e normais para uma vacina candidata. Das 60 mil pessoas que receberam a vacina, algumas tiveram efeitos adversos leves, como inchaço no local da vacinação ou febre, mas nenhum efeito colateral sério foi relatado”, afirmou.

Segundo o presidente do Grupo Nacional de Biotecnologia da China (CNBG, uma subsidiária da farmacêutica estatal Sinopharm), Liu Jingzhen, o conglomerado está pronto para a produção em massa da vacina assim que os testes forem concluídos, e que terá capacidade para fabricar mais de 1 bilhão de doses em 2021. Por sua vez, o diretor do Departamento de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Comissão Nacional de Saúde, Zheng Zhongwei, disse que o preço “irá variar” de acordo com o tipo de vacina, embora “não seja determinado pela oferta e procura, mas pela tecnologia utilizada e pelo custo e escala de produção”. “Será um preço aceitável para o público em geral. A vacina inativada custará mais que o resto”, disse. Em setembro, Zheng anunciou que a China planeja fabricar 610 milhões de doses da vacina do novo coronavírus antes do final deste ano e 1 bilhão em 2021, mas não adiantou uma data para as vacinas serem aplicadas em massa.

*Com Agência EFE