Sindicato da imprensa denuncia censura na Venezuela; transmissões dos confrontos teriam sido cortadas

  • Por Jovem Pan
  • 30/04/2019 15h19
Miguel Gutiérrez/EFEJornalistas e repórteres também denunciaram violência por parte do governo

Os confrontos nas ruas da Venezuela nesta terça-feira (30) chegaram também à imprensa. De acordo com informações do Sindicato Nacional de Trabajadores de la Prensa de Venezuela (SNTP), diferentes veículos internacionais que transmitiam imagens e informações do dia de extrema tensão no país tiveram seus sinais cortados pelo regime do ditador Nicolás Maduro. Entre esses veículos estão a CNN e a BBC.

Ainda segundo o sindicato, o sinal da Radio Caracas (RCR750) foi cortado mais cedo, logo depois da exibição de uma entrevista com Juan Guaidó.

“Duas mídias internacionais e uma mídia nacional interrompidas ilegalmente. Denunciamos censura prévia”, escreveu a entidade nas redes sociais.

Repórteres, fotógrafos e manifestantes feridos

Durante o dia, o perfil do sindicato no Twitter tem mostrado também registros de profissionais da imprensa e manifestantes que foram feridos durante os protestos. As imagens mostram alguns ferimentos leves e outros mais graves, aparentemente causados por balas.