Sobrinha de Trump processa presidente e sua família por fraude

No mês de julho, Mary publicou um livro descrevendo o presidente como um narcisista sem princípios que adorou a trapaça como um “modo de vida”

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2020 16h25
EFE/EPA/YURI GRIPASDonald Trump é o atual presidente dos EUA

Mary L. Trump, sobrinha de Donald Trump, está processando o presidente dos Estados Unidos e seus irmãos por praticar fraude. “Para Donald Trump, sua irmã Maryanne e seu irmão Robert (que morreu em agosto), a fraude não era apenas um assunto de família, era seu modo de vida”. Assim começa a denúncia apresentada por Mary na Suprema Corte de Nova York, na qual ele pede uma indenização financeira pelos danos causados. De acordo com a reclamante, ele não recebeu sua parte da herança após a morte de seu pai, Fred Trump Jr., em 1981. “Donald, Maryanne e Robert se comprometeram a salvaguardar seus interesses como fiduciários da parte que havia herdado nos negócios da família, mas eles mentiram. Ao invés de proteger os interesses de Mary, planejaram e executaram um plano complexo para desviar fundos de seus interesses e enganá-la sobre o verdadeiro valor do que ela havia herdado”, diz a denúncia.

Ela também afirma que após a morte de seu avô e criador do império Trump, Fred Trump, em 1999, os três irmãos assediaram sua sobrinha para colocá-la fora do negócio e ameaçaram declarar seus interesses à falência. No documento de 52 páginas, ela também acusa Trump e seus dois irmãos de terem se aproveitado da demência sofrida por Fred. Segundo a sobrinha do presidente americano, suas intrigas e a competição que começou entre eles era semelhante à de uma série de televisão. “No final das contas, os suspeitos trabalharam juntos para consolidar seu poder e promover seus próprios interesses às custas de qualquer outra pessoa, incluindo Mary”, diz o texto.

No mês de julho, Mary publicou um livro descrevendo o presidente como um narcisista sem princípios que adorou a trapaça como um “modo de vida” depois de ser traumatizado por seu pai, que o impediu de “desenvolver e experimentar todo o espectro de emoções humanas “. A família tentou, sem sucesso, bloquear a publicação de sua obra, que finalmente foi lançada em 14 de julho.

*Com informações da Agência EFE