Trump atribui protestos dos ‘coletes amarelos’ ao Acordo de Paris

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2018 16h46
YOAN VALAT/EFE"O Acordo de Paris não está funcionando muito bem para Paris", disse Trump

Donald Trump atribuiu neste sábado os protestos dos “coletes amarelos” na França à suposta impopularidade do Acordo de Paris contra a mudança climática, e voltou a criticar a ideia de um “exército europeu” proposta pelo governante francês, Emmanuel Macron.

“O Acordo de Paris não está funcionando muito bem para Paris. Há protestos e distúrbios em toda a França. O povo não quer pagar quantias enormes de dinheiro, em muitos casos a países do terceiro mundo (que são comandados de forma questionável), para talvez proteger o meio ambiente”, escreveu o presidente americano em sua conta no Twitter.

“(Os manifestantes) cantam: ‘queremos Trump’. Amo a França”, acrescentou.

Depois que as autoridades de Paris informaram que os protestos tinham deixado hoje 30 feridos e mais de 600 detidos na capital francesa, Trump voltou a recorrer à sua rede social preferida.

“Um dia e uma noite muito triste em Paris. Talvez seja hora de acabar com o ridículo e extremamente caro Acordo de Paris e devolver o dinheiro ao povo em forma de impostos mais baixos?”, indicou.

“Os Estados Unidos se anteciparam aos eventos ao fazer isso, e são a única potência onde as emissões diminuíram no ano passado!”, acrescentou.

Segundo dados oficiais, as emissões de dióxido de carbono se reduziram 0,9% em 2017 a respeito do ano anterior nos EUA, mas essa redução não está relacionada com a decisão de Trump de retirar-se do Acordo de Paris, que não será efetivada até 2020.

Também não há provas de que esse menor volume de poluição tenha a ver com os cortes de impostos impulsionados na reforma tributária de Trump, uma vez que o presidente americano não assinou essa medida até dezembro do ano passado.

Na terça-feira passada, Trump também recorreu ao Twitter para dizer que os protestos dos “coletes amarelos” representavam um respaldo à sua decisão de tirar os EUA do Acordo de Paris, já que pressionaram o governo francês a suspender durante seis meses o aumento de um imposto sobre o combustível.

Os “coletes amarelos” começaram protestando contra o aumento dos impostos sobre os combustíveis, depois ampliaram sua insatisfação contra a perda de poder aquisitivo.

Como fez logo após aterrissar em Paris em meados de novembro, Trump voltou a criticar hoje a ideia de Macron de criar um exército europeu e ressaltou que o necessário é aumentar as contribuições da Europa às forças da Otan.

“A ideia de um exército europeu não funcionou muito bem na Primeira nem na Segunda Guerra Mundial. Mas os Estados Unidos estiveram lá para vocês, e sempre estarão. Tudo o que pedimos é que vocês paguem sua parte justa da Otan. A Alemanha está pagando 1%, enquanto os EUA pagam 4,3% de um PIB muito maior para proteger a Europa. Justiça!”, clamou.

Na realidade, os Estados Unidos dedicam menos de 3,6% do seu Produto Interno Bruto (PIB) à Otan, segundo os números da Aliança Atlântica em 2017.

*Com informações da Agência EFE.