Uruguai anuncia retorno de aulas presenciais para a próxima semana

Anúncio foi feito hoje em entrevista coletiva pelo ministro da Educação Pública, Pablo da Silveira após reunião com o presidente do país, Luis Lacalle Pou

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2021 23h32
EFEAulas presenciais foram suspensas por Lacalle Pou em 23 de março, quando foi observado um aumento no número de casos de Covid-19

O Uruguai anunciou nesta segunda-feira, 26, que daqui a uma semana dará início ao retorno gradual às aulas presenciais, suspensas desde março, com o foco na educação dos menores moradores das áreas rurais, por serem as regiões de menor incidência do coronavírus. O anúncio foi feito hoje em entrevista coletiva pelo ministro da Educação Pública, Pablo da Silveira, e pelo presidente da Diretoria Central da Administração Nacional de Educação Pública (Anep), Robert Silva, após reunião com o presidente Luis Lacalle Pou. “Reafirmar a vontade do governo de avançar o mais rápido possível, sempre dentro das margens da segurança sanitária, em direção ao retorno da educação presencial. Reafirmar que este retorno será gradual e que um cronograma será preparado. Temos lidado com algumas hipóteses, e ainda não estamos em condições de dar um horário”, detalhou Da Silveira. Nesse sentido, o chefe da pasta de Educação Pública afirmou que na próxima quarta-feira, durante a reunião do Conselho de Ministros, eles trabalharão nos detalhes para o retorno à sala de aula. No entanto, segundo ele, é quase certo que o retorno às salas de aula acontecerá na data marcada. Desde 13 de março de 2020, quando uma emergência sanitária foi declarada devido à detecção dos primeiros casos positivos, o Uruguai acumulou 187.349 casos de infecção, dos quais 27.398 estão ativos, além de 2.391 mortes.

Da Silveira preferiu não dar certeza que em maio todos os alunos terão aulas presenciais e ressaltou que o processo será progressivo. Ao mesmo tempo, lembrou que mais de 70% dos professores estão vacinados contra a Covid-19. Silva, por sua vez, deixou claro que não haverá novos protocolos, pois estão satisfeitos com a conformidade das escolas em termos de cuidados e medidas de proteção. “Nós reivindicamos e valorizamos profundamente a presencialidade na educação, sabendo que vamos avançar progressivamente, de forma responsável e segura, combinando presencialidade com virtualidade”, frisou. As aulas presenciais foram suspensas por Lacalle Pou em 23 de março, quando foi observado um aumento no número de casos de Covid-19 no país vizinho. Dada a continuidade do aumento, a medida que estava programada para durar até 12 de abril foi finalmente prorrogada até 3 de maio.

*Com informações da EFE