Uruguai vai monitorar contágios por coronavírus na fronteira com Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2020 17h59
EFE/Federico AnfittiA medida foi anunciada pelo presidente Luis Lacalle Pou após conversa com Bolsonaro

O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, anunciou nesta segunda-feira (25) que o país vai ativar um tratado de ação sanitária binacional para monitorar o contágio por coronavírus na fronteira com o Brasil. A decisão aconteceu após conversa com o presidente Jair Bolsonaro.

“Tivemos uma conversa para implementar um tratado existente sobre monitoramento, ação binacional de saúde. Recebemos a aprovação do presidente brasileiro para implementar este tratado”, declarou Lacalle Pou.

O Uruguai tem 769 casos confirmados de coronavírus, com 22 mortes. Neste domingo (24), houve o primeiro óbito em Rivera, cidade na fronteira com Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul.

O chefe de Estado uruguaio declarou que o país não pode dizer a Bolsonaro que medidas devem ser aplicadas para controlar a pandemia no Brasil, mas disse que na conversa houve demonstrações de preocupação mútua.

“A primeira maneira de ter um bom relacionamento com o Brasil é não diferenciar políticas, e se houver uma diferença não serei eu a estabelecê-la. O mundo precisa de coincidências e é isso que temos procurado”, destacou Lacalle Pou. “As medidas vão se concentrar em respeitar a vida binacional, mas ao mesmo tempo tentar evitar a disseminação da infecção de Rivera para o resto do país”, completou.

A ideia das autoridades uruguaias é tentar reduzir ao máximo a circulação de pessoas de um país para outro. Para isso, serão instalados quatro pontos de controle. Neles, o Exército uruguaio estará presente como forma de desestimular a mobilidade.

O Uruguai ainda anunciou que nos próximos dias serão realizados cerca de 1,1 mil testes aleatórios na cidade para se ter uma noção mais precisa da situação atual da região.

Por outro lado, o presidente uruguaio afirmou que a volta às aulas em Rivera, prevista para entre 1º e 15 de junho, foi suspensa. Embora não esteja previsto o fechamento de estabelecimentos comerciais, a prefeitura local realizará inspeções sanitárias. Ele também informou que os serviços de saúde serão ampliados, com mais ambulâncias, mais leitos de terapia intensiva e maior capacidade de testes nos departamentos limítrofes de Rivera.

“O uso da liberdade responsável vai nos ajudar a fazer essas medidas, não tendo que aumentá-las e, assim, poder tentar aplanar a famosa curva da cidade de Rivera”, finalizou.

*Com EFE