Vice-ministro da Bolívia afirma que Evo Morales teve filha com menor de idade

Segundo Guido Melgar, a documentação que comprovaria a existência da criança foi recebida pelo Ministério da Justiça, em meio a acusações de abuso sexual de menores cometido pelo antigo mandatário boliviano

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2020 16h52 - Atualizado em 24/08/2020 17h00
REUTERS/CARLOS GARCIA RAWLINSEvo Morales

O vice-ministro interino de Transparência Institucional e Luta contra a Corrupção da Bolívia, Guido Melgar, garantiu nesta segunda-feira, 24, que existe uma criança registrada formalmente como filha do ex-presidente do país, Evo Morales, com uma menor que tinha 16 anos no momento do parto, em agosto de 2016. Segundo o integrante do governo, documentação que comprovaria a existência da criança foi recebida pelo Ministério da Justiça, em meio a acusações de abuso sexual de menores cometido pelo antigo mandatário, que renunciou ao cargo em novembro do ano passado.

“A menor existe, a mãe existe, e a menor tem como pai registrado Juan Evo Morales Ayma“, garantiu Melgar, em entrevista coletiva. Segundo o vice-ministro, os documentos sobre o nascimento da criança, em agosto de 2016 – quando a genitora era menor de idade -, foram encaminhados para a Defensoria da Infância e da Adolescência do país, para que seja investigado um possível “abuso sexual de menor”. Segundo Melgar, a veracidade das informações que constam nos papéis já foi verificada pelos órgãos de registro e identificação da Bolívia.

Na semana passada, o Ministério da Justiça já havia revelado outra denúncia contra Morales, por abuso sexual cometido contra adolescente menor de idade. Em 2016, o ex-presidente, que nunca se casou e é pai de dois filhos, de diferentes relacionamentos, foi apontado como tendo uma terceira criança, que não era conhecida publicamente. Inicialmente, Morales afirmou que o filho tinha morrido logo depois de nascer, mas depois garantiu que nunca existiu.

*Com informações da EFE