Viúva do presidente do Haiti volta ao país dias após atentado que matou Jovenel Moise

Martine Moise passou quase 10 dias internada em hospital de Miami para tratar ferimentos sofridos durante assassinato do marido em 7 de julho

  • 18/07/2021 08h01 - Atualizado em 18/07/2021 08h02
EFE/EPA/OFFICE OF THE PRIME MINISTERMartine Moise voltou ao Haiti após dias se tratando em Miami

Martine Moise, viúva do presidente do Haiti, Jovenel Moise, assassinado em 7 de julho, retornou à cidade de Porto Príncipe neste sábado, 17, depois de passar mais de uma semana sendo tratada em um hospital de Miami por ferimentos sofridos durante o atentado contra o marido dela dentro da casa oficial na qual eles moravam. O porta-voz do governo haitiano, Frantz Exantus, anunciou o retorno da primeira-dama, que foi recebida na pista do Aeroporto internacional de Porto Príncipe pelo primeiro-ministro interino, Claude Joseph, que está a cargo do governo do país desde o assassinato. A primeira-dama saiu do avião caminhando, usava um colete à prova de balas e tinha o braço esquerdo imobilizado. Ela estava vestida de preto como sinal de luto, de acordo com imagens divulgadas pelo porta-voz do país nas redes sociais.

Os funerais estatais em homenagem ao presidente morto serão realizados na próxima sexta-feira, 23, em Cap-Haitien, maior cidade do norte do país e próxima a Trou-du-Nord, onde Jovenel Moise nasceu. Martine é uma das poucas testemunhas do que ocorreu na madrugada do dia 7 de julho. Ela chegou a ser dada como morta pela Organização dos Estados Americanos, que prestou condolências pelo falecimento do casal após o crime, mas reiterou a informação em seguida. Até o momento, mais de 24 pessoas foram presas por envolvimento com o crime. Ainda no sábado, a polícia do país americano emitiu mandado de busca para um empresário haitiano morador do Canadá identificado como Ashkard Joseph Pierre. A ligação dele com o crime, porém, não foi esclarecida até o momento.

*Com informações da Agência EFE