Pela 1ª vez desde 2009, demissões superam contratações nas micro e pequenas empresas

  • Por Jovem Pan
  • 11/07/2015 09h51

Ao longo de 2014emprego desacelera

As demissões superaram as contratações nas micro e pequenas empresas pela primeira vez desde 2009, mas especialistas avaliam que cenário não é catastrófico. Os números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, apontaram redução de 456 vagas em maio.

Para o gerente nacional de atendimento do Sebrae, a tendência é que este panorama seja revertido, como ocorreu em abril. Em entrevista ao repórter Daniel Lian, Ênio Pinto indicou que as declarações mensais fora do prazo, enviadas pelas empresas, podem mudar o quadro.

“Seria num momento precipitado a gente dizer que há uma geração negativa. A nossa expectativa é que as declarações fora de prazo vão reverter este quadro, como aconteceu no mês passado”, explicou.

O presidente do Sindicato da Micro e Pequena Indústria (Simpi) engrossou o coro daqueles que acreditam na mudança da situação do emprego. Joseph Couri adiantou que a instituição fez um levantamento onde os indicadores mostraram queda menos acentuada das demissões. “Se isto se confirmar na pesquisa de julho, isto significará que daqui três meses, na economia como um todo, estaremos no fundo do poço a nível de demissões. Significa que não haverá piora porque esta pesquisa é sinalizadora e antecipadora de tendências”, disse.

Os especialistas acreditam que uma das principais saídas para as micro e pequenas empresas é o crédito para o capital de giro. Para eles, apesar de dificultarem as ações, os momentos de crise podem abrir espaços para novas oportunidades.