PM entra em Alcaçuz para erguer “muro” de contêineres e separar facções

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2017 12h31
RN - PRESÍDIOS/CRISE/RN/ARQUIVO - GERAL - ATENÇÃO EDITOR: FOTO DE ARQUIVO DO ÚLTIMO DIA 19 DE JANEIRO DE 2017. Presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta (RN), entram em batalha campal na manhã desta quinta-feira (19). Após subirem em telhados dos pavilhões, membros de duas facções partiram para o confronto. Há relatos de feridos e mortos, porém o número não foi divulgado. A Polícia Militar está na área externa da unidade. Do alto das guaritas, policiais efetuaram disparos na tentativa de conter a confusão. 19/01/2017 - Foto: HUMBERTO SALES/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOPenitenciária Estadual de Alcaçuz - AE

A Polícia Militar entrou na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal, na manhã deste sábado (21), para erguer um “muro” feito de contêineres.  A intenção da polícia é separar os presos de duas facções que seguem se confrontando há uma semana.

No último final de semana, durante a invasão de um pavilhão dentro do maior presídio do Rio Grande do Norte, ao menos 26 detentos foram mortos.

Neste sábado (21), participam da ação o Bope, o Choque e o Grupo de Operações Especiais. O helicóptero da Secretaria de Segurança Pública potiguar também segue na cooperação da construção do “muro” e sobrevoa a penitenciária.

No início da operação, os policiais chegaram a usar bombas de efeito moral para evitar a reação dos presos.

Segundo o governo estadual, a barreira de contêineres é medida paliativa até a construção de um muro definitivo para separar os pavilhões 1, 2 e 3, com ocupações de detidos membros do Sindicato do Crime do RN, dos pavilhões 4 e 5, ocupados por membros do PCC.