Câmara entrega ‘Medalha do Mérito Legislativo 2021’ a Bolsonaro e papa Francisco

Condecoração do presidente foi marcada por vaias e gritos de ‘genocida’ e ‘mito’; deputada Marília Arraes aproveitou a oportunidade para tecer críticas ao chefe do Executivo

  • Por Jovem Pan
  • 24/11/2021 12h30
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO - 24/11/2021Jair Bolsonaro foi indicado pelo líder do PSL na Câmara, o deputado Vitor Hugo

A Câmara dos Deputados entregou na manhã desta quarta-feira, 24, a Medalha Mérito Legislativo 2021 ao presidente Jair Bolsonaro. Além do chefe do Executivo, foram homenageados também o papa Francisco, o ministro de Relações Exteriores, Carlos França, e o fotógrafo Sebastião Salgado. A condecoração é uma forma de homenagear pessoas e entidades que prestaram serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil. Bolsonaro foi indicado pelo líder do PSL na Casa, o deputado Vitor Hugo (GO).

O mandatário do Palácio do Planalto recebeu a medalha pelas mãos do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), aos gritos de “genocida” proferido por alguns parlamentares. Outros aproveitaram a oportunidade para ovacionar Bolsonaro. “Uma satisfação muito grande estar nessa Casa, a qual integrei por 28 anos. Nós só podemos pensar em um Brasil melhor a partir do momento em que estivermos perfeitamente sintonizados. É dessa forma que se constrói uma grande nação”, afirmou o presidente durante seu rápido discurso. “Arthur Lira, muito obrigado pela deferência e pela forma como você se relaciona conosco. Nós somos, todos aqui, o futuro que o Brasil espera. Tenho certeza que emanados conseguiremos, cada vez mais, proporcionar dias melhores a nossa população”, finalizou o chefe do Executivo.

Em seguida, Lira concedeu a palavra à segunda secretária da Mesa Diretora, deputada Marília Arraes (PT-PE), que aproveitou o momento para tecer críticas ao presidente Bolsonaro. “Nem sempre quem se intitula representante do povo, de sua vontade, age em nome dele como se espera em uma democracia. Como sabemos, o Poder Executivo, eleito de maneira majoritária, também deveria se comportar como representante do povo. Mas. muitas vezes, esse pretenso povo age antidemocraticamente quando animado por espírito sectário, tachando como inimigos e excluindo os divergentes”, disse a parlamentar, que ainda citou o “The Global State Of Democracy 2021” de 2021, que concedeu ao Brasil o título de democracia com “maior declínio”. “Para aqueles que eventualmente não exibam as credenciais democráticas que a medalha pressupõe, nunca é tarde para começar. Fazemos sinceros votos de que o recebimento dessa honraria contribua para sua formação de princípios e valores que ela representa”, finalizou Marília.