Capitais brasileiras registram protestos contra Bolsonaro

Políticos da oposição, como Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL) confirmaram presença nas manifestações; em São Paulo, ato está marcado para as 14h

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2021 12h20 - Atualizado em 02/10/2021 18h16
LORANDO LABBE/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOManifestantes pedem 'Fora Bolsonaro' em ato no Rio de Janeiro na manhã deste sábado, 2

Cidades brasileiras registram, neste sábado, 2, atos contra o presidente Jair Bolsonaro, as privatizações, a política econômica do governo, além da condução da pandemia da Covid-19 e outras reivindicações. Os protestos, previstos em 305 cidades de todos os Estados e do Distrito Federal, além de 18 países, foram articulados por nove partidos — PT, PSOL, PCdoB, PDT, PSB, Rede, PV, Cidadania e Solidariedade — e pelo movimento Direitos Já! Políticos da oposição, como Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL) estavam presentes. “Fora Bolsonaro é um grito simples que deve unir todos os democratas desse país. O processo de impeachment exige que o presidente tenha cometido de caso pensado crime de responsabilidade, e Bolsonaro é um criminoso repetido que atenta contra a democracia e mata centenas de milhares de brasileiros”, disse Ciro em discurso no Rio de Janeiro.

Em São Paulo, os manifestantes ocuparam pelo menos dez quarteirões da Avenida Paulista. Uma estrutura que inclui o trio elétrico Demolidor, de 24 metros de comprimento, conhecido de foliões nos carnavais em Salvador e São Paulo, foi palco principal. Além disso, outros dois trios elétricos menores estavam no local, cujos valores foram custeados por uma “vaquinha” via Pix entre as entidades organizadoras. A Polícia Militar acompanhou o ato com dois helicópteros e cinco drones. Manifestantes foram revistados nas estações de metrô. No Rio de Janeiro, manifestantes ocuparam o centro da cidade desde a manhã de hoje em um ato que contou com a participação de diversos movimentos sociais e centrais sindicais, que marcharam da Igreja da Candelária em direção à Cinelândia. Diversos cartazes pediram o impeachment de Bolsonaro.