Caso Flordelis: Inquérito envolve mais quatro pessoas ligadas à deputada

Filho, neta e dois empregados da família são alvos de novo inquérito

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2020 10h41 - Atualizado em 02/10/2020 11h02
Luis Macedo/Câmara dos DeputadosFlordelis

As investigação sobre o assassinato do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada federal Flordelis, ganharam novos rumos. Nesta quinta-feira, 2, a Polícia Civil do Rio de Janeiro e o Ministério Público do Rio de Janeiro abriram um terceiro inquérito para apurar a execução, sendo investigados: Gerson, filho de Flordelis, Lorraine, neta da deputada; Gilcineia Teixeira, cozinheira da casa da família e Marcio Buba, motorista da missionária. Ao todo, outros sete filhos de Flordelis já foram presos por indícios de participação no assassinato.

Ao mesmo tempo, na Câmara dos Deputados, o corregedor e deputado federal Paulo Bengtson (PTB-PA) encaminhou nesta quinta-feira, 1º, seu parecer sobre o caso ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). No documento, Bengtson recomenda o encaminhamento do processo ao Conselho de Ética – responsável por decidir pela cassação ou não do mandato da parlamentar – porque “os fatos descritos no Requerimento de Representação e no Inquérito Policial que o instrui constituem indícios suficientes de irregularidades ou de infrações às normas de decoro e ética parlamentar”. Seguindo o parecer do deputado, o próximo passo será a Mesa Diretora da Câmara avaliar se envia ou não o caso da deputada federal Flordelis ao Conselho de Ética.

Relembre o caso

Anderson do Carmo foi assassinado a tiros na madrugada do dia 16 de setembro de 2019. O pastor estava na garagem da sua casa em Niterói, no Rio de Janeiro, quando foi morto. Segundo testemunhas ouvidas pelos investigadores, Anderson foi atingido por mais de 30 tiros quando voltou ao carro para pegar um objeto que havia esquecido no automóvel. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.