‘É o devido processo legal’, diz Mourão sobre operação contra Sérgio Reis e Otoni de Paula

Em conversa com jornalistas ao chegar ao Palácio do Planalto, vice-presidente disse que PGR, que pediu ação da PF, deve ter ‘dados consistentes’ sobre o caso

  • Por Jovem Pan
  • 20/08/2021 12h16
Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo - 10/02/2021Apoiadores do presidente da República foram alvos de operação da PF na manhã desta sexta-feira, 20

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, nesta sexta-feira, 20, que a operação da Polícia Federal (PF) contra o cantor Sérgio Reis e o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) ocorreu dentro do “devido processo legal”. Em conversa com jornalistas, ao chegar ao Palácio do Planalto, Mourão acrescentou que o procurador-geral da República, Augusto Aras, “é um homem sério” – a ação da PF foi feita a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Na avaliação do vice, Aras deve ter “dados consistentes” sobre o caso. “O PGR, doutor Augusto Aras, é um homem sério. Para ele determinar que ocorra uma investigação mais aprofundada, ele tem que ter realmente dados consistentes, e não meros indícios. Acho que ele esperou ter dados dessa natureza e, aí, agiu”, disse.

Mourão destacou que é preciso aguardar o desenrolar das investigações sem “crucificar” os envolvidos nos inquéritos. “Existem denúncias, existe um inquérito em andamento. [Em] um inquérito, para poder se obter as provas necessárias, como é que é feita a investigação? Seja por meio de depoimento das pessoas que estão investigadas, seja apreendendo material na busca dessas provas. Obviamente tudo com autorização da Justiça, se não foge aquilo que prevê o devido processo legal. Então vamos aguardar o que vai emergir disso tudo”, disse. “Para mim é o devido processo legal. Porque lamentavelmente o que ocorre é quando um processo desses começa, aí hoje com a divulgação que isso é dado, a pessoa imediatamente fica crucificada na opinião pública antes que termine o processo. Então tem que aguardar o desenrolar disso aí”, prosseguiu.