Eleições 2020: Capitais brasileiras elegem oito negros e apenas uma mulher

Dos oito eleitos, todos se autodeclararam pardos; número corresponde a 32% do total

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2020 11h17 - Atualizado em 30/11/2020 17h23
Reprodução/FacebookCinthia Ribeiro (PSDB) era vice-prefeita de Palmas e assumiu a prefeitura em 2018 após Carlos Amastha (PSB) renunciar

No domingo, 29 de novembro, eleitores de 18 capitais foram às urnas novamente para escolher os próximos prefeitos de seus municípios. Excluindo-se o Distrito Federal, que elege seu próximo prefeito em 2022, e Macapá, que teve sua eleição adiada em decorrência do apagão que atingiu a cidade, 25 capitais escolheram seus representantes. Em relação a raça, apenas oito negros (pretos e pardos) foram eleitos. Entre eles, nenhum se autodeclara preto, todos os oitos estão registrados como pardos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O resultado do segundo turno consolidou o resultado do primeiro apenas uma mulher foi eleita como prefeita de uma capital. Ela é Cinthia Ribeiro (PSDB), reeleita em Palmas (TO).

Cinco mulheres disputaram o segundo turno: Manuela D’Ávila (PCdoB), em Porto Alegre; Marília Arraes (PT), em Recife; Delegada Danielle (Cidadania), em Aracaju; Socorro Neri (PSB), em Rio Branco; e Cristiane Lopes (PP), em Porto Velho. As cinco perderam a disputa. Em 2016, apenas uma mulher se elegeu: Teresa Surita (MDB), reeleita em Boa Vista (RO). Em 2018, Cinthia Ribeiro (PSDB), na época vice-prefeita de Palmas, assumiu a prefeitura após Carlos Amastha (PSB) renunciar ao cargo para disputar o governo de Tocantins. Então, em 2020, duas mulheres comandavam capitais.

Segundo o TSE, oito prefeitos eleitos se declararam como pardos, representando 32% do total de prefeitos eleitos nas capitais. Entre eles, Tião Bocalom (PRO – Rio Branco), David Almeida (Avante – Manaus), Arthur Henrique (MDB – Boa Vista), João Henrique Caldas (PSB – Maceió), Bruno Reis (DEM – Salvador), Cicero Lucena Filho (PRO – João Pessoa), Dr. Pessoa (MDB – Teresina) e Edvaldo Nogueira Filho (PDT – Aracaju). Sendo assim, nenhum negro foi eleito nas capitais do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O número é quase o dobro de 2016, quando cinco candidatos se autodeclararam pardos. Foram eles Teresa Surita (MDB – Boa Vista), ACM Neto (DEM- Salvador), Carlos Eduardo (PDT – Natal), Edvaldo Nogueira (PCdoB – Aracaju) e Marquinhos Trad (PSD – Campo Grande). Nesta eleição, no entanto, Marquinhos Trad se autodeclarou branco ao TSE.