Governador de Pernambuco afasta comandante da PM envolvido em repressão a ato contra Bolsonaro

Paulo Câmara afirmou que policiais envolvidos em agressão à vereadora Liana Cirne (PT) serão investigados; atos contra o presidente da República ocorrem em ao menos sete capitais brasileiras

  • Por Jovem Pan
  • 29/05/2021 17h48
Reprodução/Vídeo/TwitterPaulo Câmara se manifestou em seu perfil no Twitter

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmou que o comandante e os demais policias militares envolvidos na agressão à vereadora de Recife Liana Cirne foram afastados de suas funções e serão investigados. Ela foi atingida por spray de pimenta na repressão a uma manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro, na tarde deste sábado, 29. Mais cedo, a vice-governadora, Luciana Santos (PCdoB), disse, em uma postagem nas redes sociais, que a dispersão do ato não foi autorizada pelo governo estadual. Como a Jovem Pan mostrou, os protestos contra o governo federal ocorrem em ao menos sete capitais brasileiras.

“Sempre pratiquei na minha condição de governador de Pernambuco, os mesmos princípios que defendo como cidadão e democrata.  Repudiamos todo ato de violência, de qualquer ordem ou origem. Sobre o ocorrido durante manifestação no Centro do Recife, na manhã deste sábado, determinei a imediata apuração de responsabilidades. A Corregedoria da Secretaria de Defesa Social já instaurou procedimento para investigar os fatos. O oficial comandante da operação, além dos envolvidos na agressão à vereadora Liana Cirne, permanecerão afastados de suas funções enquanto durar a investigação. Sempre vamos defender o amplo diálogo, o entendimento e o fortalecimento de nossas instituições dentro da melhor tradição democrática de Pernambuco”, diz Paulo Câmara em uma série de postagens em seu perfil no Twitter.

A agressão a Liana Cirne foi flagrada em um vídeo divulgado pela deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional do PT, em seu perfil no Twitter. Nas imagens, é possível ver que, após ser atingida pelo spray de pimenta, a viatura policial deixa o local, enquanto a vereadora é socorrida no chão. “PM de Pernambuco atirando contra manifestantes no Recife para dispersar os atos. A companheira Liana Cirne, do PT, foi agredida com spray de pimenta no rosto enquanto tentava negociar com policiais. Inacreditável. Pra que isso?!”, escreveu a parlamentar.