Luiz Fux, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco exaltam trajetória de Jô Soares: ‘Marca eterna na cultura’

Apresentador morreu na madrugada desta sexta-feira, 5, aos 84 anos; autoridades e políticos prestam homenagens

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2022 12h07 - Atualizado em 05/08/2022 12h16
EDUARDO NICOLAU/ESTADÃO CONTEÚDO Jô Soares Jô Soares morreu nesta sexta-feira, 5, aos 84 anos, em São Paulo

O Supremo Tribunal Federal (STF) publicou nota de pesar pela morte do humorista e jornalista, Jô Soares, que morreu na madrugada desta sexta-feira, 5, aos 84 anos. Em comunicado, o ministro Luiz Fux, presidente da Corte, lamentou a morte do ator e falou sobre o seu legado para a cultura brasileira. “Em nome do Supremo Tribunal Federal, lamento a morte do humorista, ator, jornalista e intelectual Jô Soares. Grande nome da televisão brasileira, deixará uma marca eterna na cultura do nosso país. Desejo conforto aos amigos e familiares”, disse o ministro. Em manifestação semelhante, o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), exaltou a trajetória do dramaturgo como parte da cultura brasileira e lamentou o falecimento. “O Brasil perde Jô Soares, um dos maiores comunicadores de nossos tempos. […] Meus sentimentos e solidariedade aos familiares, amigos, colegas e fãs”, escreveu o senador no Twitter. Na rede social, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), exaltou Jô Soares. “O Brasil perdeu hoje um artista multifacetado, de talento reconhecido, que conquistou o público e marcou seu tempo. Meus sentimentos aos familiares e amigos”, ponderou. Outros políticos como Bia Kicis, Marcelo Freixo, Fernando Bezerra, Marco Feliciano e presidenciáveis como Lula e Simone Tebet também prestam homenagem a Jô.