Moro critica escolha de Zanin para o STF: ‘Amigo pessoal do presidente’

Presidente oficializou para a Suprema Corte a escolha de seu advogado nas ações que envolvem a Operação Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2023 16h15
TON MOLINA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Sergio Moro Senador e ex-juiz Sergio Moro em audiência da Comissão de Assuntos Econômicos

O senador Sergio Moro (União Brasil-PR) utilizou as suas redes sociais nesta quinta-feira, 1º, para criticar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por indicar o advogado Cristiano Zanin, que o defendeu em seus processos no âmbito da Operação Lava Jato, para herdar a cadeira do ministro aposentado Ricardo Lewandowski, no Supremo Tribunal Federal (STF). Em uma publicação, o ex-juiz disse que Zanin era amigo pessoal de Lula e considerou que a nomeação do próprio advogado “fere o espírito republicano”. “A nomeação de um advogado e amigo pessoal do presidente da República para o Supremo Tribunal Federal não favorece a independência da instituição e fere o espírito republicano”, considerou. A confirmação ocorre após o presidente Lula confirmar, numa coletiva de imprensa ao lado do presidente da Finlândia, Sauli Niinistö, onde o petista justificou que o nome de Zanin foi escolhido “não só pelo papel que ele teve na minha defesa [durante a Lava Jato], mas simplesmente por que o Zanin se transformará em um grande ministro da Suprema Corte”. Moro terá a oportunidade de participar da sabatina de Zanin na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) – atualmente presidida por Davi Alcolumbre (União Brasil-AP) – junto com outros 25 senadores que deverão chancelar ou barrar a ida de Zanin à Suprema Corte. Além de Moro, decidirão sobre a escolha de Zanin os senadores Flávio Bolsonaro (PL-RJ), Marcos do Val (Podemos-ES), Magno Malta (PL-ES), Renan Calheiros (MDB-AL) e Omar Aziz (PSD-AM).

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.