Pacheco diz que sacrificar preceitos institucionais seria ‘intolerável’

Posicionamento do senador vem logo após o presidente Bolsonaro dizer que iria pedir a abertura de um processo de impeachment contra os ministros Barroso e Alexandre de Moraes

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2021 12h23
ANTONIO MOLINA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 12/08/2021 O senador Rodrigo Pacheco vem se posicionado publicamente em defesa da harmonia entre os Poderes

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou nesta terça-feira, 17, que seu trabalho é não cessar o diálogo entre os Poderes. O posicionamento do senador em defesa da harmonia entre os poderes vem logo após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dizer que iria pedir, no Senado, a abertura de um processo de impeachment contra os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). “Hoje nós temos um ambiente de desunião, principalmente na classe política. A esperança e a confiança não podem faltar em um momento em que nós precisamos delas para poder retomar”, disse Pacheco durante a 22ª Conferência Anual do Santander.

“No Congresso Nacional, tenho buscado não cessar o diálogo, não cessar a identificação de pontos de convergência e dar, às divergências entre poderes e instituições, o trato democrático. Ou seja, as divergências existem em uma democracia e elas têm que ser dirimidas através dos mecanismos próprios da democracia”, afirmou o senador, que defendeu que o diálogo seja feito “sem risco de ruptura” e sem “acirramento entre as instituições”. “Sacrificar preceitos institucionais seria intolerável”, acrescentou o presidente do Senado. “Nosso trabalho é buscar não acirrar, não jogar lenha na fogueira e, sim, aparar arestas”.