‘Parece que a eficácia dessa vacina de São Paulo está lá embaixo’, diz Bolsonaro

Presidente afirmou ainda que ‘não vai aceitar vacina que não esteja devidamente comprovada’; o estado de São Paulo adiou a divulgação dos resultados da CoronaVac atendendo pedido do laboratório chinês

  • Por Jovem Pan
  • 24/12/2020 20h46 - Atualizado em 24/12/2020 20h57
GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDOO presidente Jair Bolsonaro falou sobre a eficácia da CoronaVac em live nesta quinta

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar da imunização contra a Covid-19 durante sua live nesta quinta-feira, 24, véspera de Natal que teve a participação do artista Romero Britto. Ele afirmou que não vai “se responsabilizar por ninguém” e que deseja “uma vacina eficaz e segura”. “Tem muita gente com medo em casa. A vacina que for certificada pela imprensa será disponibilizada para todos os brasileiros”, disse. Bolsonaro ainda comentou o adiamento da divulgação dos resultados da CoronaVac, desenvolvido pela laboratório Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan. A Sinovac, segundo o governo de São Paulo, pediu para que resultados fossem apresentados de forma conjunta – o hiato não altera prazo estabelecido para iniciar a imunização em 25 de janeiro “Parece que eficácia dessa vacina aí de São Paulo está lá embaixo. Não vou divulgar percentual, mas parece que está lá embaixo”, disse. Em conversa com apoiadores nesta semana, o presidente afirmou que estava imunizado após ter contraído a Covid-19, ele relembrou essa fala durante a live: “Falei que estava imunizado pelo vírus e caiu na imprensa, mas eu fui mesmo”.

Ao abordar a obrigatoriedade da vacinação, Bolsonaro destacou que é cobrado por tudo e que os estados e municípios tem liberdade para decidir regras sobre a pandemia conforme determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). “Cobram de mim tudo. Mas tem senador da República com projeto de lei que dá 8 anos de cadeia para quem não tomar vacina. Tem que caprichar quando for votar, pessoal”. Ao conversar com o artista Romero Britto, o presidente questionou qual o valor do quadro que ele pintou de Bolsonaro – Britto afirmou que a obra é de “valor inestimável”.

Bolsonaro comenta decisão de Nunes Marques sobre a Lei da Ficha Limpa

Apesar de ressaltar que não defenderia seu ministro indicado para o Supremo Tribunal Federal (STF), Jair Bolsonaro comentou a decisão de Nunes Marques sobre a Lei da Ficha Limpa, que gerou grande repercussão na imprensa e nas redes sociais. O presidente, no entanto, saiu em defesa de seu ministro. “Dizem: ‘Kassio Nunes tentou acabar com a Ficha Limpa’, ele é um ministro com autonomia e o que ele fez, na verdade, foi definir o início da contagem da inegibilidade. Nada mais do que definir isso. Ele não acabou com a lei da Ficha Limpa, não, sem querer defendê-lo”, disse. Ao citar as críticas em torno do tema, Bolsonaro afirmou que “quem critica o tempo todo deve ser candidatar. Mostre para o seu município como se faz política, se você é um ‘bambambam’ boa sorte. Vem sentar nessa cadeira aqui pra você ver”, concluiu.

Segundo o presidente, o próximo ministro a ser indicado para a Suprema Corte terá “o padrão dele [Nunes Marques]”. “O presidente tem um poder enorme e você passa a ter gente que pensa como você lá [no STF]. Se você quer que o Supremo seja alinhado com o perfil, é isso”, disse. Ele ainda comentou o voto no ministro sobre a possibilidade de divisão de pensão por morte quando há bigamia. “Eu não ouvi ninguém falar sobre esse voto do Kassio para a amante não ter direito a pensão e divisão de bens. Isso é a destruição da família, algo muito caro para todos nós e a votação foi 6 a 5, não vi nada nas redes sociais”, disse.