Pela primeira vez na história, PT não elege prefeito em capitais

Desempenho foi pior do que em 2016, quando, na esteira dos desdobramentos da Operação Lava Jato, sigla conquistou a prefeitura de Rio Branco, no Acre

  • Por André Siqueira
  • 29/11/2020 20h58
EFE/Sebastião MoreiraNeste domingo, partido foi derrotado em Vitória, com João Coser, e em Recife, com Marília Arraes

Pela primeira vez na história, o Partido dos Trabalhadores (PT) não elegeu nenhum prefeito em capital. Neste domingo, o partido aparecia com chances em Vitória, com João Coser, e em Recife, com a deputada federal Marília Arraes, mas foi derrotado nas duas cidades. Coser foi superado pelo candidato Delegado Pazolini (Republicanos), e Marília, pelo primo, João Campos (PSB), que contou com o apoio de Ciro Gomes (PDT) e de partidos de centro-direita nesta reta final de eleição municipal. Além disso, em São Paulo, onde o prefeito Bruno Covas (PSDB) foi reeleito, o PT, que lançou a candidatura de Jilmar Tatto, não ficou nas duas primeiras colocações do pleito pela primeira vez desde 1985 – mesmo em 2016, quando João Doria (PSDB) foi eleito em primeiro turno, Fernando Haddad terminou na segunda colocação. Tatto conquistou 8,6% dos votos válidos e terminou atrás de candidatos como Arthur do Val (Patriota), por exemplo.

O resultado petista nestas eleições foi pior do que em 2016, quando, na esteira dos desdobramentos da Operação Lava Jato, o partido conquistou apenas a prefeitura de Rio Branco, capital do estado do Acre, com Marcus Alexandre. Mesmo assim, a legenda chegou ao período de campanha sem estar à frente de nenhuma capital, já que Alexandre renunciou em 2018 para concorrer ao governo – na ocasião, ele foi derrotado ainda em primeiro turno por Gladson Cameli (PP). Além disso, candidatos apoiados pelo partido em outras capitais, como Manuela D’Ávila (PCdoB) em Porto Alegre, também foram derrotados – candidato a vice na chapa de Manuela, Miguel Rossetto é filiado ao PT. Presidente nacional do partido, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou, em sua conta no Twitter, que o segundo turno das eleições municipais mostra que “a esquerda sabe lutar”. “O 2º turno mostrou que a esquerda sabe lutar. Nosso desempenho nas grandes cidades e a unidade que construímos em tantas delas confirma que temos uma alternativa para o Brasil. Parabéns à militância pela garra, num cenário tão difícil. O PT venceu em 4 de 15 cidades no 2º turno (Contagem, Juiz de Fora, Diadema e Mauá) e teve mais de 40% dos votos em 9. Vencemos com o PSOL em Belém, lutamos ao lado de Boulos e Manuela. E o Brasil viu o que fizeram para barrar Marília em Recife. O PT segue junto com o povo”, disse em duas publicações.