Presidente da Alesp nega possibilidade de cassação de Fernando Cury

Deputado estadual foi flagrado pelas câmeras da assembleia apalpando a colega Isa Penna (PSOL); ele foi punido pelo conselho com 119 dias de suspensão

  • Por Jovem Pan
  • 30/03/2021 15h52 - Atualizado em 30/03/2021 17h17
Sergio Galdino/AlespA votação da suspensão de Fernando Cury será realizada na quarta-feira, 31

O presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Carlão Pignatari (PSDB), negou a possibilidade de modificar a pena imposta no Conselho de Ética ao deputado estadual  Fernando Cury (Cidadania), que, em dezembro de 2020, foi flagrado pelas câmeras da Alesp apalpando a colega Isa Penna (PSOL). Ele foi punido pelo conselho com 119 dias de suspensão não remunerada. Isa e seus aliados protocolaram uma emenda modificando a pena de Cury de suspensão para cassação. Em comunicado publicado no Diário Oficial do Estado, Pignatati afirmou que “ao Plenário, devidamente provocado, cabe exercer, soberanamente, a prerrogativa de aprovar ou não aprovar a proposta de imposição da penalidade, não dispondo, contudo, da prerrogativa de modificá-la”. “E, por essa razão, o projeto de resolução por meio do qual se propõe a aplicação da sanção não é passível de emendamento”, completou.

A deputado Isa Penna usou seu Twitter para informar que vai levar a questão à Justiça. “Acabo de protocolar, junto ao deputado Emídio de Souza (PT), que foi o relator do caso no Conselho de Ética, um mandado de segurança pedindo que o plenário vote a cassação de Fernando Cury”, escreveu. “É inaceitável que o assediador continue legislando normalmente com uma punição branda que não tira seus direitos políticos, apenas o afasta por 119 dias com salário garantido para todo seu gabinete. Isso se votarem a favor desta punição”, justificou. A votação da suspensão de Fernando Cury será realizada na quarta-feira, 31.