Relator da reforma do IR quer ampliar faixa de isenção para pessoa física 

Senador se apoia em defesa feita por Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018 para tentar sensibilizar o Ministério da Economia

  • Por André Siqueira
  • 29/09/2021 10h26
Jefferson Rudy/Agência Senado Angelo Coronel Angelo Coronel é o relator da reforma do Imposto de Renda no Senado

Relator da reforma do Imposto de Renda no Senado, o senador Angelo Coronel (PSD-BA) quer ampliar a faixa de isenção para pessoa física. O texto aprovado pela Câmara dos Deputados elevou o teto do benefício de R$ 1.903,98 para R$ 2.500 mensais, uma correção de 31,3%. O parlamentar baiano, no entanto, tem uma ideia mais ambiciosa: estender esta possibilidade para quem recebe até R$ 5 mil mensais. “Vou tentar negociar para ver se essa faixa vai para cinco mil. Com a mudança, a gente parte para beneficiar 25 milhões de brasileiros”, disse Coronel à Jovem Pan.

A ideia do senador do PSD não é uma novidade. Em 2019, ele apresentou um projeto de lei complementar visando alterar a tabela do Imposto de Renda de pessoa física e as deduções previstas à base de cálculo deste tributo. “Objetivando atualizar os parâmetros da norma e ajustar a tributação sobre a renda de pessoas físicas de maneira mais justa, propõe-se aumentar a faixa isenta de imposto de renda a cinco mil reais mensais e reduzir a alíquota de rendas superiores a esse limite a 20%”, diz um trecho da proposta.

Além disso, na campanha eleitoral, o então candidato Jair Bolsonaro defendia isentar do IR quem ganhava até cinco salários mínimos – aproximadamente R$ 5.500. É baseado neste desejo do agora presidente da República que o relator da reforma no Senado espera sensibilizar a equipe do Ministério da Economia, comandada por Paulo Guedes. “Espero que o Ministério da Economia acate a ideia, porque Bolsonaro defendia isso lá atrás. Estou comungando das mesmas ideias do Planalto”.