Ricardo Salles comenta operação da PF: ‘Exagerada e desnecessária’

Ministro afirmou que o inquérito no STF induziu o relator Alexandre de Moraes ao ‘erro’, e disse que a pasta ‘sempre procurou agir de acordo com as regras’

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2021 17h02 - Atualizado em 19/05/2021 20h11
Ettore Chierenguini/AGIF/Estadão Conteúdo - 15/12/2020 Ministro falou com a imprensa após seminário em Brasília

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que a Operação Akuanduba, da Polícia Federal, foi “exagerada e desnecessária”. A declaração foi dada pelo chefe da pasta nesta quarta-feira, 19, após participação dele no Seminário “Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável da Indústria de Resíduos Sólidos no Brasil”, em Brasília. Em declaração à imprensa, o ministro afirmou ainda que o inquérito sob relatoria de Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que levou à deflagração da operação, induziu o membro da Corte ao erro. “Esse inquérito foi instruído de uma forma que acabou levando o ministro relator, induzindo o ministro relator a erro, induzindo justamente a dar a impressão de que houve, ou que teria havido, possivelmente uma ação concatenada de agentes do Ibama e do Ministério do Meio Ambiente para favorecer ou para fazer o destravamento indevido do que quer que seja. Essas ações jamais, repito, jamais aconteceram”, disse Salles, que admitiu não ter tido acesso aos autos do inquérito. “O ministério sempre procurou agir de acordo com as regras, com bom senso, com equilíbrio e isso ficará demonstrado nos autos do inquérito conforme eles forem instruídos”, concluiu o ministro.