Simone Tebet se lança candidata à presidência pelo MDB e critica ‘aventureiros’ e ‘líderes que dividem o país’

Senadora também ataca ‘líderes que dividem o país’ e defende responsabilidade fiscal em discurso

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2021 17h30 - Atualizado em 08/12/2021 17h32
MATEUS BONOMI / AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA / ESTADÃO CONTEÚDOSimone Tebet é a primeira mulher a se lançar candidata à eleição presidencial de 2022

A senadora Simone Tebet, do Mato Grosso do Sul, foi lançada como candidata à eleição presidencial de 2022 pelo MDB nesta quarta, 8. Em evento num hotel de Brasília, a parlamentar discursou e atacou ‘aventureiros’ na política e ‘líderes que dividem o país’, criticou pontos do governo Bolsonaro como a política ambiental e o combate à pandemia, e defendeu a responsabilidade fiscal e a recriação do Ministério do Planejamento. “Sem responsabilidade fiscal, nós já sabemos esse caminho nefasto. Nós não garantimos o que é necessário para esse caminho ser feito”, afirmou Tebet ao defender “uma renda básica com porta de saída e igualdade de oportunidades”. O evento contou com a presença de alguns governadores do partido, como Ibaneis Rocha (DF) e Helder Barbalho (PA), e de líderes do partido na Câmara, Isnaldo Bulhões Jr. (AL), e no Senado, Eduardo Braga (AM). Por outro lado, membros importantes do partido que tem boa relação com Lula (PT) não compareceram, como o senador Renan Calheiros e seu filho, o governador de Alagoas, Renan Filho; a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney e o ex-presidente do Senado Eunício Oliveira (CE).

Sobre a gestão de Bolsonaro, Tebet criticou a relação com o chamado Centrão e afirmou que “o governo que aí está cria crises artificiais”. “Mas, mais grave do que isso, promove a discurso do ódio, a polarização. Numa única palavra, quer aniquilar as minorias”, afirmou a senadora. No caso de Lula, ela criticou a divisão. “Chega de líderes que dividem o país ao meio e promovem o nós contra eles. O sonho de um país forte começa pela união. O papel de um presidente é promover a paz e a concórdia”, disse. Por fim, embora não tenha citado diretamente o ex-juiz Sérgio Moro, outro que cogita se candidatar a presidente, a congressista criticou quem chama de ‘aventureiros’ na política. “O Brasil não pode estar mais à mercê de aventureiros, de outsiders. É preciso experiência administrativa e de gestão”, comentou. Tebet ainda disse que garantiria as três ‘seguranças’ necessárias para o ambiente de negócios, segurança institucional, segurança jurídica e segurança sócio-ambiental.