Prefeitura de SP descarta volta às aulas em outubro

Prefeito Bruno Covas (PSDB) deve anunciar nesta quinta-feira, 17, que volta presencial das atividades dependerá de novas análises

  • Por Gabriel Bosa
  • 16/09/2020 17h46 - Atualizado em 16/09/2020 18h15
DIRCEU PORTUGAL/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOPrefeitura enfrenta pressão de sindicatos para que anuncie o cancelamento do ano letivo de 2020

A Prefeitura de São Paulo descartou o retorno das atividades da rede municipal de ensino em outubro, mas ainda cogita a volta dos alunos às salas de aula neste ano. Segundo informações confirmadas à Jovem Pan, nesta quinta-feira, 17, o prefeito Bruno Covas (PSDB) deve anunciar que o retorno presencial dos estudantes continuará suspenso até nova avaliação dos técnicos das pastas de Educação e Saúde. A volta de atividades extracurriculares para outubro deve ser mantida para o dia 7, mas também está em análise. O prefeito enfrenta pressão de sindicatos de professores e outros profissionais da educação pelo cancelamento do ano letivo de 2020, conforme outras cidades da região metropolitana já fizeram. Por outro lado há a influência de escolas privadas, que afirmam ter investido na reforma de unidades para receber os alunos.

Atividades extracurriculares, como reforço escolar, estão autorizados no estado de São Paulo desde a última semana, apesar de ainda encontrar bastante resistência nos municípios da região metropolitana da capital. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Paulo afirmou nesta quarta-feira, 16, que acha precipitado o retorno dos alunos em meio à pandemia da Covid-19. Amanhã, o prefeito Bruno Covas deve apresentar o resultado de novo inquérito sorológico com alunos da rede municipal. O último inquérito mostrou que 123 mil estudantes já tinham anticorpos para o novo coronavírus.

Ansiedade para a volta

Na sexta-feira passada (11), a Prefeitura de São Paulo divulgou o protocolo sanitário com medidas de prevenção contra a Covid-19 na rede municipal de ensino. O projeto vai instalar equipamentos que para a transmissão de videoaulas para mais de 1.500 escolas municipais do estado de São paulo. No entanto a data do retorno continua indefinida.