Presos na Operação Custo Brasil serão transferidos para sede da PF em São Paulo

  • Por Estadão Conteúdo
  • 23/06/2016 10h06
Polícia Federal São Paulo

Os presos da Operação Custo Brasil serão encaminhados à sede da Polícia Federal, em São Paulo. Entre eles, está o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). As detenções ocorreram no âmbito dessa operação, que é um desdobramento da 18ª fase da Lava Jato, batizada de Pixuleco II. 

Estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão preventiva, 40 de busca e apreensão e 14 de condução coercitiva nos estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Distrito Federal. Os mandados foram todos expedidos pela 6ª Vara Criminal de São Paulo. 

A Polícia Federal dará entrevista coletiva, às 11h desta quinta-feira (23), em sua sede, no bairro da Lapa, zona oeste da capital paulista, para explicar operação Custo Brasil. O ex-ministro da Previdência Social Carlos Gabas também foi alvo de condução coercitiva. 

A Custo Brasil é o primeiro desdobramento da Lava Jato em São Paulo. A ação decorre de fatiamento de uma investigação que estava no Supremo Tribunal Federal. 

As diligências foram deflagradas conjuntamente pela PF, Ministério Público Federal e Receita Federal do Brasil e apuram o pagamento de propina, proveniente de contratos de prestação de serviços de informática, na ordem de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, a pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos ligados ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.