Brasileiros de bem estão inconformados com escândalo do petrolão

  • Por Jovem Pan
  • 17/12/2014 11h38

Uma reportagem do jornal O Globo traz o sentimento dos brasileiros que protestavam ontem contra a corrupção na Petrobras.

Inconformados com o escândalo do petrolão, eles fizeram um faxinaço em frente às sedes da estatal em seis cidades brasileiras.

O mesmo protesto também estava programado para acontecer em Houston, nos Estados Unidos.

O que se viu foram cidadãos com vassouras nas mãos limpando, simbolicamente, a sujeira feita, na Petrobras, por políticos, empresários e diretores daquela que já foi a maior empresa nacional, o orgulho do Brasil.

Hoje é motivo de vergonha e principalmente de indignação. Em São Paulo, o faxinaço contou com a participação, inclusive, de funcionários e ex-funcionários da estatal, como o técnico Marcio Camargo.

Ele disse que a questão da propina sempre existiu, mas nunca de uma forma tão devastadora.

E disparou: “Corrupção sempre teve em todos os partidos, mas o PT institucionalizou a corrupção”.

Outra manifestante, uma senhora de 69 anos, juntava-se ao coro dos descontentes:

Segundo ela, “corrupção tem em qualquer lugar do mundo, mas ter um partido que se infiltra por todo o governo e coloca na principal empresa do país pessoas para roubarem, é inaceitável”.

O faxinaço foi o primeiro protesto da empregada doméstica Shirley Xavier. Ela disse que resolveu participar por que há muita roubalheira no Brasil. Para o advogdo Mauro Scheer, falta gestão profissional na Petrobras.

De fato, a principal estatal brasileira virou a mina de ouro dos corruptos, ávidos para dilapidar o patrimônio público. A nomeação de presidente e diretores é baseada apenas em critérios políticos, como uma troca de favores entre partidos aliados e a presidência da república. Um toma lá dá cá!

Não se tem levado em conta critérios técnicos de merecimento, para nomeação de profissionais capacitados e comprometidos com a saúde da estatal, que tornariam a empresa lucrativa para o país e para seus acionistas.

Deu no que deu. graças à corrupção e à incompetência dos seus gestores, do início do governo Dilma até semana passada, o valor da estatal caiu de pouco mais de R$ 380 bilhões para R$ 173 bilhões.

E o que dizer dos brasileiros idôneos que acreditaram na propaganda do Governo e investiram seu fundo de garantia em papéis da estatal que desvalorizaram 40% só este ano. Enquanto isso, as contas de políticos, partidos e empresários inescrupulosos engordaram muito com o dinheiro fácil desviado da estatal, hoje, vergonha nacional.

Voltando ao protesto do faxinaço, eu reproduzo, aqui, o desabafo do advogado Mauro Scheer, que li no jornal o Globo.

“Se não mudarmos o Brasil, teremos que mudar do Brasil”. Mas, não são cidadãos de bem que têm que sair do Brasil. Nós é que temos que enxotar daqui os profanadores da República, os larápios da Nação.