Cerveró diz que conselho da Petrobras recebeu detalhes de compra de refinaria em Pasadena

  • Por Jovem Pan
  • 03/04/2014 16h16

Nêumanne, é verdade que o tal do Cerveró pôs areia no ventilador?

O ex-diretor internacional da Petrobras e de finanças da BR distribuidora recém-demitido, Nestor Cerveró, voltou de férias e já pôs areia no ventilador. Através do seu advogado, Edson Ribeiro, ele já deixou claro, mandou o recado, de que, afinal, o conselho de administração da Petrobras em 2006, à epoca presidido pela mãe da luz, pela ministra de Minas e Energia, pela chefe da Casa Civil, pela presidente da República e atual candidata à reeleição, Dilma Rousseff, recebeu todos os detalhes da compra da refinaria.

Segundo Cerveró, 15 dias antes da apresentação que ele fez no Conselho de Administração, todos os membros tiveram em mãos, para ouvi-lo e para discutir com ele, a documentação completa sobre a compra da refinaria da Astra Oil em Pasadena, no Texas. Segundo o próprio Cerveró, de acordo com o que disse seu advogado, nesta documentação tinha contratos e as cláusulas eram detalhadas.

Bom, vai ser difícil uma boa nota, uma nova nota de boa qualidade explicando tudo por parte da presidente. Não vai ficar fácil a circulação da bela Gleisi Hoffmann pelo Senado, na sua nova missão de impedir a CPI da Petrobras, nem também o trabalho de combate ao fogo do presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB em Alagoas.

Agora, eu fico aqui me perguntando: por que é que se discute tanto as tais das cláusulas? Ninguém pergunta se a presidente Dilma Rousseff, economista, especialistas em Energia, especialista em fazer contas, grande defensora do patrimônio nacional, acha que tem lógica você comprar um bem que valia 42,5 milhões de dólares, oito meses antes, por US$ 420 milhões, a metade, a metade, mais de dez vezes a metade de um bem. Ah, aí não tem Cerveró, não tem Gleisi Hoffman e não tem Dilma Rousseff que consiga desmentir a matemática.