Já não bastam os problemas de saúde no Brasil, difícil mesmo são os problemas políticos

Em relação ao vírus no Brasil, o pensamento é o seguinte: ter medo do vírus é ser maricas, mas se morrer por causa do vírus, passa a ser um bundão; é uma situação dramática

  • Por Álvaro Alves de Faria
  • 01/12/2020 12h49
Instituto Butantan/DivulgaçãoAnvisa e Instituto Butantan estão inspecionando fabricação da CoronaVac na China

Detetives da Anvisa estão na China até sexta-feira, 4, para inspecionar a produção da vacina chinesa do Doria. Nesta segunda-feira, 30, os detetives da Anvisa concluíram o primeiro dia de trabalho para verificar o que se chama  Boas Práticas de Fabricação da CoronaVac, que a farmacêutica chinesa Sinovac produz com a participação do Instituto Butantan, do governo de São Paulo. É uma bruta saia justa. No primeiro dia de investigação, os detetives da Anvisa inspecionaram a qualidade da empresa. Isso envolve gerenciamento de risco, de documentação e o plano de validação da vacina do Doria. Não é coisa fácil. Especialmente porque essa vacina da China está complicando muitas coisas no Brasil. Os detetives da Anvisa estão se desdobrando para fazer um relatório completo para o governo analisar. Uma parte dos detetives já investigou o banco de sementes e partículas virais utilizadas na fabricação da CoronaVac. Outra turma inspecionou os requisitos técnicos que são aplicados aos Procedimentos de Amostragem de Matérias-primas, Qualificação de Fornecedores, Sistema de Numeração de Lotes e Qualificação de Transporte, tudo com letra maiúscula, como informa uma nota da Anvisa. O objetivo da investigação é “conhecer a excelência das práticas de fabricação de medicamentos e insumos farmacêuticos para uso humano”.

Os detetives da Anvisa levaram pastas com tudo isso escrito, para evitar problema. Escrito didaticamente, em letra de forma bem grande para não haver equívoco nenhum. O negócio é não criar problema com a China. No entanto, não se tem muita certeza disso. É uma investigação delicada porque estão em jogo desejos de alguns interessados em melar o negócio com a farmacêutica chinesa. A bem da verdade, os detetives da Anvisa não estão à vontade nesse trabalho de investigação. A Anvisa já informou que a aprovação da CoronaVac pelas autoridades científicas da China não significa que o mesmo ocorrerá no Brasil de maneira automática. Nem pensar. Não tem essa. Para a vacina chinesa do Doria ser utilizada no Brasil há necessidade de muitas outras coisas. Não é assim no vai da valsa como muita gente está pensando. Não. A aprovação da vacina em outro país não serve para o Brasil. No Brasil, as leis são outras e, nesse caso em particular, a ciência não é levada a sério. A ciência fica num segundo plano. Então é preciso andar devagar com isso. Ninguém pense que vão descarregar aqui no Brasil 100 milhões de doses da vacina chinesa do Doria e o presidente Bolsonaro ordenará que a vacinação seja feita imediatamente.

Quem pensar assim está completamente louco e, além da vacina, tem que fazer um tratamento psiquiátrico, desde que o médico não seja chinês. O problema é que o João Doria andou dizendo por aí que a CoronaVac poderá ser utilizada mesmo sem aprovação da Anvisa. Basta receber a aprovação de agências científicas de outros países e começar a vacinar todo brasileiro encontrado em algum lugar. Quando o Doria disse isso no Palácio dos Bandeirantes, naquelas entrevistas de todas as manhãs, o Palácio do Planalto em Brasília tremeu na base. João Doria garantiu que esse procedimento é internacional com o aval da Organização Mundial da Saúde. Mas entre nós aqui, os detetives da Anvisa não querem saber dessa conversa. Estão na China para cumprir uma missão oficial e ponto final. É melhor não complicar com muita conversa. Tem que deixar o barco seguir. E enquanto os investigadores da Anvisa inspecionam a vacina, a OMS afirma que chegou a hora de o Brasil levar o coronavírus a sério. Tem que parar com essa esculhambação que está ocorrendo atualmente.

De acordo com a OMS, a taxa de transmissão do vírus no Brasil nunca esteve tão alta. Parece que está todo mundo contaminado. Por isso fazem festas todos os dias, enchem os bares, as praias, os restaurantes, as lojas, as sorveterias, as feiras livres, os parques. Todo mundo se esbaldando. Está tudo cheio de gente contaminada se divertindo, não dando a mínima para a doença. Enquanto isso, os detetives da Anvisa estão na China fazendo investigações na tentativa de salvar todo mundo. Em relação ao vírus no Brasil, o pensamento oficial é o seguinte: ter medo do vírus é ser maricas. Agora, se morrer por causa do vírus passa a ser um bundão. Como veem, é uma situação dramática. O Brasil é dramático. A vacina da China é dramática. O Butantan é dramático. Todo mundo é dramático. Já não bastam os problemas de saúde criados pelo vírus no Brasil. O difícil mesmo é enfrentar os problemas políticos. E para isso não existe vacina que possa nos salvar do caos e do descaso.