Bruno Garschagen: Atitude de Crivella não tem nada a ver com conservadorismo

  • Por Jovem Pan
  • 09/09/2019 08h00
ESTEFAN RADOVICZ/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDOA decisão do prefeito do Rio de Janeiro teve efeito contrário e fez o livro se esgotar das prateleiras em poucas horas

Em duas decisões isoladas, ministros do STF dizem não a censura na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Dias Toffoli e Gilmar Mendes mandaram suspender decisões que autorizavam a apreensão de livros, mas a Prefeitura da capital fluminense promete recorrer.

“Se o objetivo de Crivella era aumentar as vendas, ele conseguiu. Parabéns. Agora, o que me preocupa nessa história toda é uma tentativa de estatizar a responsabilidade dos pais. Do ponto de vista jurídico, a discussão nem cabe do ponto de vista do que foi feito e proposto pelo prefeito. Tanto a Constituição quanto o artigo 78 do ECA não permitem o que foi feito ou tentou-se fazer. De qualquer forma, não confunda. Isso não é conservadorismo, como eu ouvi muita gente defendendo e criticando esse tipo de ação. A decisão do Crivella não tem nada a ver com o pensamento conservador, que é algo muito sério.”